Pular para o conteúdo principal

Postagens

Featured Post

#MomentoTelecine: Todo dia é um filme encantador que vai muito além de um romance teen

Nesses dias andei vendo vários filmes, alguns me decepcionaram, outros não passaram do "ok", alguns eram tão chatos que mal passei dos dez primeiros minutos (oi, Fala sério, mãe e sim, filme do Sai de baixo, é com vocês mesmo que estou falando...), mas este, especificamente, acabou salvando aquela que deve ser uma experiência agrádavel, a de curtir um momento cinema em casa: Todo dia é a adaptação para o cinema de um livro famosinho de David Levithan de mesmo nome. Não li o livro, e parece que tem um segundo livro que é do ponto de vista da Rhiannon. Pois bem, o filme Todo Dia é contado também do ponto de vista dela.

Uma garota de 16 anos, Rhiannon, que tem um namorado que é, bem, um imbecil, acaba tendo um dia maravilhoso com ele, só que... bem, não era ele. A. é uma esécie de espírito desprovido de corpo, e ele/a e Rhiannon acabam se apaxionando e vivendo um romance, no mínimo, bizarro. A. acorda a cada dia no corpo de uma pessoa diferente. Alguns acham até que foram possu…
Postagens recentes

Maria e João - O conto das bruxas: um conto admonitório moderno com ares antigos

Os contos de fadas com finais felizes são uma "invenção" relativamente "moderna".  As histórias originais são bem mais sombrias, conhecidas como cautionary tales, algo como contos admonitórios. Maria e João - O conto das bruxas é um filme sombrio que capta um pouco do sentido original do famoso conto de João e Maria.

Já começamos com a inversão nos nomes no título o que, a princípio, poderia indicar apenas que o filme segue a tendência "feminista", digamos assim, mas, de fato, podemos dizer que Maria vem primeiro no título porque ela é a protagonista da história. 


Se nos contos modificados, temos geralmente a figura da madrasta como a má, neste filme, Maria e João - O conto das bruxas, temos a mãe como a figura "má", que coloca os filhos para fora de casa e que sugere saídas horríveis para Maria, como ir para um convento ou ceder aos caprichos de um homem nojento, ao que tudo indica, um pedófilo.

O conto é "das" bruxas porque não te…

A hora da sua morte: um sucessor de Premonição?

Acabei gostando um pouco mais de A hora da sua morte do que imaginava... Se as mortes fossem mais grotescas, seria, de fato, um bom sucessor para a franquia Premonição, porém, dentro de sua premissa, o filme se sai melhor do que eu esperava. 
O filme tem início em uma festa, em que já começa a crítica à geração conectada e viciada em apps e emagrecimento, em que uma das meninas menciona um aplicativo para controlar a dieta e então acabam achando o "Countdown", um aplicativo que "prevê" a hora da sua morte. Obviamente que ninguém lê os "termos do contrato", e esse é o ponto para a perseguição fantasmagórica. 
Se a nova instância de O grito foi uma decepção, A hora de sua morte foi quase um alívio. Falei sobre O grito aqui
Embora alguns elementos como o próprio tempo em tela versus o tempo do app não sejam lá muito bem usados, o timing de modo geral é bom, o filme é relativamente curto - grata por não estender por duas horas ou mais o que cabe muito bem …

Carnaval 2020 - DJ Alok encarna Farialimer em parceria com a Disney

Começou o pré-Carnaval e amanhã o mundialmente famoso DJ Alok desfilará pela primeira vez seu trio na capital paulista. E aproveitando que o bloco desfilará na avenida Brigadeiro Faria Lima, o DJ estará caracterizado como “Guy”, novo personagem de Ryan Reynolds no longa Free Guy – Assumindo o Controle
Alok encarna o típico “Farilimer” junto de um time “Guys”, todos vestidos com a camisa azul que é utilizada repetidas vezes pelo personagem no filme. A campanha é uma parceria com a Disney, a fim de divulgar Free Guy, que conta a história de um caixa de banco solitário que descobre que ele é, na verdade, um personagem secundário de um game chamado Free City.
Se quer aproveitar a folia no Trio do Alok anota aí: 16 de fevereiro (domingo) - 14h Concentração na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 4.532  Gratuito





A estréia do filme no Brasil está marcada para 9 de julho de 2020. Veja o trailer



Another é uma obra-prima dos animes de terror!

Em outubro de 2009, Yukito Ayatsuji publicava a light novel que seria uma das maiores referências de terror em animes e mangás: Another. Se você já conhece a história, coloque seu guarda-chuva em um lugar seguro e aproveite a leitura, caso contrário, espero que essa crítica te deixe com vontade de ver essa obra-prima de 12 episódios!
“Vinte e seis anos atras, havia uma aluna chamada Misaki Yomiyama na escola Yomiyama Norte, que estudava na sala 3. Uma estudante honorária, também era boa em esportes. Misaki era muito popular entre seus colegas e até os professores tinham afeição por ela. Quando Misaki morre inesperadamente, a classe 3-3 decide continuar agindo como se ela ainda estivesse viva. Contudo, quando a foto da graduação da sala foi tirada, eles viram na foto alguém que não deveria estar lá: Misaki, a estudante ‘extra’.”
Ao ser transferido para a Yomiyama Norte, Sakakibara Kouichi não sabe o que esperar de seu primeiro dia de aula na cidade de sua falecida mãe. Internado por cau…

Review - Riverdale 4x13 - Cuidado com os idos de março! e a psicologia do detetive

Essa quarta temporada de Riverdale, embora muitas coisas absurdas ainda aconteçam, está mais focada em um mistério que está sendo jogado como pedacinhos de pão para crianças perdidas em contos de fadas, ou de bruxas, para nós, telespectadores, desde a season finale da impossivelmente absurda, ainda que adorável de um jeito bem Riverdale de ser, totalmente com seu jeitinho misto de série de mistério teen com novela mexicana que fez da série, pelo que vi não só apra mim, mas para muitos fãs, um guilty pleasure que às vezes até vem com mais sabor de culpa do que de prazer, mas que, enfim, tem seus méritos. Como fazer com que não consigamos parar de vê-la!

Neste episódio 13, que foi ao ar hoje, 13 de fevereiro, temos algo ominoso já no título e, coincidência ou não, no número do episódio e na data em que foi exibido. 
Ides of March e sua origem
Mas afinal, o que significa “the Ides of March”? 
Atualmente, o dia 15 de março é considerado ides of March, visto que ides quer dizer “meio do mês…

Para Todos os Garotos: P.S. Ainda Amo Você aquece corações e não decepciona

Assim que o filme Para Todos os Garotos: P.S. Ainda Amo Você ficou disponível na Netflix, reservei um tempinho em meio à minha maratona da segunda temporada de O mundo sombrio de Sabrina e resolvi assistir ao filme. Que não me decepcionou, não, embora até mais ou menos uma hora de filme eu tenha ficado me perguntando se teria valido a pena. Mas valeu, aquele final foi bem mágico, e entender que a proposta deste segundo filme é bem diferente da do primeiro ajuda bem a curtir essa segunda instância da história de Lara Jean e Peter. 
Amizade, amor, paixão, divórcio, novo relacionamento do pai depois da morte da mãe, encontro com antigo crush e dúvidas na cabeça de uma adolescente com seu relacionamento e quase ferrando tudo por medo de ferrar tudo são temas presentes nesta sequência. A trilha sonora é incrível como sempre, há momentos bem divertidos no filme, e o final feliz esperado, claro. Lara e Peter combinam, mas mostram que a insegurança, os medos, tudo isso junto pode arruinar ch…

Aves de Rapina - Arlequina e sua emancipação fantabulosa é um Deleite

Com um visual que logo de cara nos remete à Del (Delirium/Delírio) de Sandman, a Arlequina de Margot Robbie em Aves de Rapina - Arlequina e sua emancipação fantabulosa é simplesmente uma encarnação perfeita da personagem dos quadrinhos. 

***


O filme Aves de Rapina - Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa fala sobre emancipação feminina, e a mais do que necessária varinha condutora na direção ficou, ainda bem!, a cargo de uma mulher, Cathy Yan, nos provendo um filme que fala sobre um tema feminino com uma visão, claro, feminina. Antes de torcer o nariz, lembre-se de que isso é mais do que necessário, é bem-vindo. E Cathy e toda a equipe por trás do filme acerta em cheio, nos provendo um filme divertido, caótico, tão caótico quanto a personagem de Arlequina (e sua talvez parente distante, Delírio), que nos encanta com essa anti-heroína e o restante da trupe de Aves de Rapina cometendo erros, às vezes muitos erros, para chegar ao ponto da emancipação e do rompimento com a subjugação mas…

Doutor Sono tinha tudo para dar certo, se não fosse tão raso...