Pular para o conteúdo principal

Retrospectiva - TAG - Top 3 de 2017

Último dia do ano, chegou a hora das escolhas difíceis :)




📚 TOP 3 LIVROS DE 2017





1. Mulher Maravilha: Sementes da Guerra - Leigh Bardugo. Esse livro é incrível! Claro que enquanto eu o lia eu imaginava uma versão adolescente da Gal Gadot, que ficou perfeita como a Diana. 





2. Crônicas de Morrighan - A origem do amor - Mary E. Pearson. Esse livro é simplesmente uma coisinha deliciosa. Amei demais a origem das Crônicas de Amor e Ódio, amei traduzi-lo e amei muitíssimo a edição lindona da Darkside Books. :) 


3. O homem que caiu na Terra - Walter Tevis. Aquele livro (e mais uma edição belíssima) belamente triste... não é nem agridoce. É triste mesmo. Foi minha primeira leitura de 2017 e adorei. Parece MESMO que Thomas foi inspirado no David Bowie!


Li 37 livros esse ano. Incluindo quadrinhos e mangás... Pouco, eu sei. :/ Meta para 2018: O mesmo esquema que fiz com os filmes: Pelo menos, 52. (Número de semanas e de Terras alternativas hehe)

Bônus: Acabei trabalhando no projeto como revisora e simplesmente devorei (trocadilho infame proposital) a Gastrobiografia de Renato Caleffi, Na ponta da língua. Ultra-master-recomendado para os amantes de um bom livro e de gastronomia ;)


🎬 TOP 3 FILMES DE 2017




1. Logan - Belissimamente brutal canto do cisne do Wolverine. Até que enfim um filme mais do que digno do personagem que mais amo nos quadrinhos. Com o eterno e único Wolverine de Hugh Jackman. Para ver e rever e rever...



2. Star Wars - Os últimos Jedi - Os paralelos entre Obi Wan Kenobi e Luke Skywalker para mim foram só alguns dos muitos pontos altos do filme. Odeio Kylo Ren. Intensamente. Amei o filme e discordo daqueles que dizem (inclusive o Mark Hamill) que o Luke não se isolaria. Vide Obi Wan Kenobi, que tanto amo, mas se escondeu por anos e nem atendia por essa alcunha, e Yoda que, bem, morava em um pântano xD




3. Com amor, Van Gogh (Tem minha crítica aqui). Encerrei bem os filmes vistos no cinema esse ano com essa joia artística. 

I <3 Van Gogh
Consegui bater minha meta: tinha me proposto a ver pelo menos 52 filmes no cinema esse ano, meio que o equivalente a um por semana, e vi 57. Fora os que vi na TV. E vi e revi Logan, no cinema, inclusive na versão em preto e branco, a noir, magnífica. 

Animações: 

1. Your Name. Sem palavras, magnífico. Tem lá no Netflix agora ;)
2. Lego Batman
3. Moana

Bônus: It - A coisa (tem a crítica minha em inglês para o IGGPP aqui) e Mulher Maravilha & Akira remasterizado no cinema porque é simplesmente incrível, tanto em termos de história, imagem e som. 

Pior filme do ano: Lady Macbeth. Tem resenha dele aqui.


🎥 TOP 3 SÉRIES DE 2017


1. Game of Thrones. Fui rebelde por muito tempo, mas nesse ano eu finalmente me rendi à palavra do Senhor George R. R. Martin. E ver "aquela" morte do penúltimo episódio no telão da arqueria com amigos e ouvir aqueles gritos de morte em som surround... tristemente épico. E agora, em 2018, eu começo finalmente a ler os livros :3


Rainha de chinelo XD


2. Stranger Things. Já mencionei no post de abertura que eu não era tão fã assim logo de cara, até que veio a segunda temporada e me conquistou de vez. 

3. O Justiceiro. Já amava Jessica Jones, e amei o John Bernthal no papel de Justiceiro em Demolidor, e a série solo dele tem aquele quê do estilo da Jessica que eu amo com o plus de um excelente vilão, o que falta a muita série e muito filme. Vilões toscos é muito aff 


Bônus: Legends of Tomorrow. Essa série se encaixa naquela minha categoria de "ruim-bom". Adoro. Mick Rory e cia.! XD E aquele episódio do "E se George Lucas não tivesse criado Star Wars?" O melhor!)  (Atualmente a única série do Arrowverse que eu vejo. Porque eu finalmente disse adeus a The Flash, Arrow e Supergirl. RIP)


Decepção do ano: Bem, foi só nesse ano que me dispus a ver e fui até o fim. Hemlock Grove. Primeira temporada muito boa, segunda temporada, ruim, terceira temporada parecendo que foi feita por roteiristas bêbados que não viram as duas primeiras temporadas. Ainda assim, tem a melhor transformação de lobisomem que já vi no cinema e na TV. Uma pena que os pelos dos lobos entupiram os ralos e a série acabou sendo uma das maiores decepções dos últimos tempos para mim.

.

🎧 TOP 3 MÚSICAS DE 2017







Sim, são todas de O Rei do Show. :) Crítica do filme aqui

Claro que deixei muita coisa de fora, mas escolhas têm que ser feitas, certo?

Bônus:


Eventos: CCXP (Não foi épico porque cancelaram o Nicolai e tal, mas foi mágico. E Dean Charles Chapman, que fez o Tommen em Game of Thrones, foi a surpresinha gratificante logo no primeiro dia. Um fofo xD), Roadsec (porque foi minha primeira feira hacker!) e Virada Nerd - Dia do Quadrinho Grátis (porque estava legal E fiz duas tatuagens novas lá!) [Fui a mais eventos, esse é o Top 3 ;)]




Falando nas minhas novas tatuagens, algumas fotinhas mais aqui e eu super-indico a Beatriz a vocês, amei o trabalho dela!

Gastronomia:

1. Jazz Restô & Burgers - Ambiente lindo, com jazz e eu comi comida típica da Lousiana, e não hambúrguer lá. Divina. E as itubaínas. E os sucos... <3


2. Portal da Coreia. A gente prepara alguns pratos na hora, o atendimento é ótimo e a dose de vodca é caprichada hahahaha

Foto por: Annelisa Rodrigues

3. Damp Sorvetes. São tantas opções, entre elas sorvete de rosas e de queijo brie com damasco. Yummy!

Essa TAG #TAGTOP3DE2017 foi inspirada lá no instagram da Julianne Vituri

That's all for today, Folks!






Comentários

Popular

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio, uma bela repaginada em uma franquia querida

Neste ano vimos o retorno de várias franquias queridas (bem, ao menos queridas para os fãs delas, claro) muitos anos depois do último filme delas, como Rambo, Zumbilândia e Os 3 Infernais, mesmo depois daquele final épico. Então temos agora O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio. Porém, enquanto  os outros são continuações diretas, mesmo que muitos anos depois, do último filme lançado, este novo longa  de O Exterminador do Futuro é uma sequência direta de O Exterminador do Futuro 2 - O julgamento final, e veio para provar um de vários fatos que fazem dessa franquia um sucesso: a presença de Linda Hamilton. 
Repaginando a história, o filme já começa com cenas digitalmente refeitas para conectar o segundo da franquia a este. E é simplesmente incrível nessa reconstrução, pois a gente fica se perguntando se eram cenas que não foram para o filme de 1991 afinal, mas com o avanço da tecnologia (ai, ai, ai, rs), não notamos isso até que alguém nos conte a real. 

E temos um trio girl powe…

Mario Kart Tour: o que esperar do clássico para mobile?

Com certeza os amantes de Nintendo já souberam da novidade para celular! A Nintendo, diferente de outras desenvolvedoras, muito dificilmente libera um de seus jogos para outra plataforma. Mas como uma boa mãe sempre olha por seus filhos, ela nos deu esse pequeno presente que é o Mario Kart tour!
Em Mario Kart, Mario e seus amigos disputam emocionantes corridas de Kart em paisagens inspiradas em cenários clássicos da franquia. A versão original possuía apenas karts, mas agora temos também motocicletas e algumas telas necessitam de paraquedas para maior interação. Não é apenas um jogo de corrida, mas intensamente competitivo, com caixas surpresa espalhadas pela tela que te dão itens exclusivos para ganhar vantagem, derrubar os inimigos e destruir amizades. Cada circuito possui quatro telas e a pontuação é somada ao longo delas.


Essa versão desse clássico da Nintendo é um tour pelas telas mais queridas e famosas das outras versões (principalmente os clássicos, como Mario Kart 64 e o novo M…