Pular para o conteúdo principal

(BGS) Daniel Pesina, intérprete dos mais conhecidos personagens de Mortal Kombat, estará na 11ª edição da Brasil Game Show

Daniel Pesina, intérprete dos mais conhecidos personagens de Mortal Kombat, estará na 11ª edição da Brasil Game Show
Na maior feira de games da América Latina, o ator e mestre em artes marciais que ajudou na criação de uma das principais séries de jogos de luta de todos os tempos participará de sessões no Meet & Greet, de painéis do BGS Talks e será jurado em concursos de cosplay
São Paulo, 06 de março de 2018 – Fãs de games, de luta e, especialmente, de Mortal Kombat, têm um grande motivo para garantir o seu lugar na Brasil Game Show (BGS), a maior feira de games da América Latina, cuja 11ª edição será realizada entre 10 e 14 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo. Daniel Pesina, ator e especialista em artes marciais que ficou conhecido por interpretar personagens como Johnny Cage, Sub-Zero e Scorpion nos jogos da famosa série Mortal Kombat estará na BGS 2018.

Daniel Pesina estará na BGS entre 10 e 13 de outubro e participará de diversas atividades com os fãs, como sessões de Meet & Greet, onde posará para fotos e distribuirá autógrafos; painéis no BGS Talks, em que falará de curiosidades sobre a série Mortal Kombat e sua paixão por judô e kung fu, e na Cosplay Zone, como jurado dos concursos de cosplay.

As habilidades de Pesina com artes marciais fizeram com que suas contribuições a Mortal Kombat fossem muito além da interpretação dos personagens da série, que na década de 90 ainda usava imagens digitalizadas de atores reais para animar o game. Pesina ajudou a desenvolver o jogo de luta dando ideias de golpes que foram transformados em movimentos do game e até mesmo armas. É ideia dele, por exemplo, a rope dart, a famosa arma de Scorpion. Além disso, Pesina recrutou atletas para atuarem no jogo, participou de grupos de viagens nacionais e internacionais para promover a série e ajudou no trabalho de atendimento à imprensa. Para sua vinda para a Brasil Game Show, Pesina deixou uma mensagem para os fãs brasileiros. 

“Ano passado tivemos a presença de Ed Boon, criador e produtor executivo de Mortal Kombat, e agora traremos mais um personagem muito importante dessa série que é uma das mais queridas pelo público gamer. Pesina participou da construção do jogo, deu vida a diversos personagens, criou golpes icônicos e certamente será uma atração muito requisitada na feira", disse Marcelo Tavares, CEO e fundador da BGS. “A mais de um semestre da BGS, já temos muitas atrações confirmadas e os jogadores podem ter certeza que várias surpresas estão por vir. A 11ª edição da BGS terá um grande salto de qualidade, será inesquecível e alcançará um novo patamar, o next level".

Outros grandes nomes já confirmados na BGS 2018

Além de Daniel Pesina, a 11ª Brasil Game Show já tem dois convidados internacionais confirmados: Katsuhiro Harada, diretor de Tekken, uma das mais icônicas séries de jogos de luta, e Howard Scott Warshaw, um dos primeiros desenvolvedores de jogos eletrônicos e autor de diversos títulos famosos para o Atari, como E.T. the Extra-Terrestrial, que ficou marcado como um dos títulos mais polêmicos da história dos games. Ao longo dos próximos meses, muitas novidades serão reveladas.

Segundo lote de ingressos está à venda com desconto de até 46%
Até 13/3 é possível adquirir ingressos do segundo lote com desconto de até 46% em relação aos valores do último lote. A meia-entrada custa R$ 59,00 e o passaporte para os quatro dias de evento sai por R$ 177,00. Adquirindo o passaporte, um dia de evento sairá de graça. Outra novidade da 11ª edição é o ingresso Fast Pass, que permite ao visitante entrar no evento uma hora antes da abertura oficial nos dias abertos ao público, e custa R$ 118,00.
Têm direito ao benefício da meia-entrada aqueles que doarem 1kg de alimento não-perecível na entrada do evento, estudantes, idosos, professores e pessoas com deficiência.
Todas as notícias sobre a Brasil Game Show podem ser vistas em www.brasilgameshow.com.br.

Serviço – BGS 2018
Quando: 10 a 14 de Outubro (1º dia exclusivo para imprensa e business)
Onde: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo – SP
Horário: 13h às 21h
Ingressos (Segundo lote) - até 13/3
Individual (meia-entrada) – R$ 59 (ingresso individual para 01 dia de evento aberto para público – 11, 12, 13 ou 14 de Outubro)
Individual Fast Pass (meia-entrada) – R$118 (ingresso individual para 01 dia de evento – 11, 12, 13 ou 14 de Outubro, com entrada 1 hora antes do público geral)
Passaporte (meia-entrada) – R$ 177 (acesso a todos os dias de evento abertos ao público – 11, 12, 13 e 14 de Outubro)
Premium – R$499 (acesso a todos os dias de evento, incluindo o dia exclusivo para imprensa e business – 10, 11, 12, 13 e 14 de Outubro)
Sobre a Brasil Game Show – realizada pela primeira vez em 2009 na capital carioca como Rio Game Show, a BGS está a caminho de sua 11ª edição. Em 2018, a maior feira de games da América Latina será realizada de 10/10 a 14/10, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Maria do Caritó, do tablado para o cinema, diverte ao mesmo tempo em que faz críticas muito necessárias

No dicionário popular, Caritó é a pequena prateleira no alto da parede, ou nicho nas casas de taipa, onde as mulheres escondem fora do alcance das crianças, o carretel de linha, o pente, o pedaço de fumo, o cachimbo. Vitalina, conforme a popularizou a cantiga, é a solteirona, a moça-velha que se enfeita - bota pó e tira pó -, mas não encontra marido. E assim, a vitalina que ficou no caritó é como quem diz que ficou na prateleira, sem uso, esquecida, guardada intacta.
No gênero comédia romântica e baseado na peça teatral homônima, Maria do Caritó, escrita por Newton Moreno e ambientado no nordeste, e gravado na cidade de Peacatuba, em Minas Gerais, onde a fotografia remete às pequenas cidades do interior, trazendo a poesia e o azul como motes no começo do  longa.



Nessa máxima que segue o enredo de Maria de Caritó, longa protagonizado por Lilian Cabral (Maria), a moça que chega aos seus 50 anos  e ainda virgem, vítima da promessa que seu pai diz ter feito ao santo desconhecido quando ela …