Pular para o conteúdo principal

Criaturas Estranhas, histórias selecionadas por Neil Gaiman (Editora Fantástica Rocco)


“Onde há um monstro”, disse o sábio poeta americano Ogden Nash, “há um milagre.”

Um Grifo. Um Lobisomem. Um Pássaro do Sol... E um autor dos meus sonhos escolhendo contos que o encantaram durante a vida e juntando-os em um livro.

Criaturas Estranhas é um livro incomum. Abrimos sua capa e navegamos pelas suas páginas como os personagens do conto Prismática, em que o príncipe da Terra do Arco-Íris se junta a um personagem principal bem esperto e enfrenta o Homem Cinza para salvar uma princesa.

Quando a nova rainha saiu de seu cômodo, eles se juntaram aos outros zangões no vôo de núpcias, onde passaram despercebidos. Dois se acasalaram com ela. Os que falharam e sobreviveram contaram depois, em uma voz sussurrante, o que havia sido feito em nome da ideologia. Antes de morrerem, pegaram própolis e tinta de bugalhos e escreveram nas pilastras da colméia, em uma caligrafia que tinham desenvolvido, a história da primeira anarquista e de seus vinte filhos.


Saboreamos os contos do livro como em o Pássaro do Sol, em que o pessoal devota a vida a provar tudo que existe na terra e se aventuram a tentar provar um pedacinho da Fênix.

Descobrimos que só porque alguma coisa é julgada ruim não significa que necessariamente ela será, como em O Lobisomem Cabal e que podemos não acreditar mesmo naquilo do qual já presenciamos como o Sábio de Theare.

Criaturas Estranhas pode apresentar uma gama imensa de feras, bestas e monstros, mas nos apresenta também uma coisa bem mais assustadora, o ser humano.

Neil Gaiman, autor de Sandman e do mais recente sucesso (em livro e adaptado em série original da Amazon Video), Deuses Americanos, é o selecionador dos contos registrados. Ele até nos agracia com um conto de sua própria autoria, Pássaro de Sol.

“Nunca, Lorde e Lady Torrance, pois vocês dois se preocupam demasiadamente com outra pessoa para terem orgulho de ser a Morte”

Uma grande surpresa também é encontrar no livro um conto de Diana Wynne Jones, autora do livro O Castelo Animado (se tiverem interesse indico que assistam à animação de mesmo nome produzida pelo Studio Ghibli, e depois leiam o livro que é simplesmente maravilhoso). Aqui, dela, lemos O Sábio de Theare, que começa de uma maneira leve, mas que no final passa uma lição maravilhosa.


-Clarissa, se algum dia acontecer algo ruim com você e ninguém acreditar na sua versão da história, pode me procurar- disse Gilla.- Porque sei bem como é isso.

E não são apenas esses dois autores os responsáveis pela magia do livro. Cada conto é encantador, tenso, emocionante e interessante da sua maneira. Às vezes sendo contados de forma descontraída, horas de forma séria, em outros momentos, de forma sensível.

Temos contos para crianças, adolescentes e adultos em uma mesma edição, mas isso não o torna impróprio e sim próprio de um jeito único para todas as idades. Pois ao lermos este livro, podemos entendê-lo de forma diferente a cada fase da vida

-Como poderei pregar a Dissolução?- questionou ele.- Como posso não acreditar nos deuses se os vi com meus próprios olhos?

E como em O Mal Também se Levanta, onde uma cidade tem sua fera e seus segredos, o livro tem seus segredos que vamos desvendando aos poucos e acabamos como Gilla de um Sorriso no Rosto, com várias palavras novas, também experiências, que não vão ficar apenas conosco e vão sair pelos nossos lábios.


Com participação de um Grifo narcisista, um lobisomem bonzinho, abelhas anarquistas, uma bicicleta malvada e uma morte gentil, além de outras várias criaturas, o livro vale totalmente a pena e percebemos que não é apenas escrevendo que Neil Gaiman é ótimo, mas também em escolher contos para encantar diversos leitores.


Nota: 3 criaturas estranhas e meia nem tão estranha assim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …