Pular para o conteúdo principal

Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim


Gnomeu e Julieta chegam à Inglaterra, preocupados em preparar o jardim para a primavera e rever os amigos britânicos. No entanto, a dupla começa a perceber que os gnomos estão sendo sequestrados em toda a cidade. Eles recorrem ao gênio da investigação Sherlock Gnomes que, junto de seu fiel companheiro Watson, embarca numa aventura para solucionar o mistério.

Sequência da animação de Gnomeu e Julieta de 2011, agora nos é apresentada a história dos dois apaixonados enfrentando um mistério junto com o mais famoso investigador inglês.

Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim é uma animação deliciosa que vai encantar os pequenos. Com doses de humor, romance e muito ação, temos lições de respeitar a amizade, os parceiros e aqueles que amamos. Lições de darmos importância às opiniões dos que se importam conosco e darmos mais importância aos que importam mais do que para o nosso trabalho, porque no fim, quem estará lá por nós serão essas pessoas que nos amam.
Para os adultos também não vai ser diferente. O filme traz várias referências e piadas que só pessoas um pouco mais velhas vão entender. É leve e divertido. Passa de forma rápida e é interessante.

Para os fãs de Sherlock Holmes então... Temos menções de suas principais aventuras com tiradas geniais que tiram sempre uma risada espontânea.

Outra coisa maravilhosa da animação é a representação feminina. Adoro quando as mulheres fortes realmente são fortes, não uma representação barata que temos que engolir todos os dias. Julieta sabe o que quer e sabe o que faz, é inteligente e forte e trabalha duro para cumprir seu papel.

E também temos um Gnomeu romântico, que faz várias coisas para a sua amada, que também é forte e se preocupa com os mais próximos. Temos um Gnomeu mais sentimental enquanto temos uma Julieta mais racional.

E (estou ouvindo um aleluia?) essa inversão do homem ser o emocional e a mulher ser a racional é uma coisa muito boa (se você vir, é até triste ser considerado uma inversão em pleno século XXI). Não que sempre devamos ter animações ou filmes assim, mas que devamos ter um equilíbrio. Uma diversidade de personalidades tantos para meninos/ meninas, homens/ mulheres, é maravilhoso porque mostra para a pessoa ser como ela é (menos se você for uma pessoa maldosa, aí você tem que mudar mesmo) que ela vai continuar sendo uma pessoa forte.

Minha paixão pelo Sherlock e pelo o Watson prevalece até nessa animação. Adoro a relação complexa que os dois têm e mesmo que as referências sejam bem mais engraçadas para os fãs da dupla, elas podem acender a chama da curiosidade das crianças para saber mais sobre esses dois personagens espetaculares.

Em relação à primeira animação, essa tem um desenho bem mais bonito e tem bem mais história. Verdade seja dita, Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim apresenta uma trama bem interessante, cheia de reviravoltas.

A animação vale a pena ser assistida e não vai só entreter as crianças, mas, como dito antes, vai divertir os adultos responsáveis também. E se você é só um adulto e talvez nem tão responsável assim, também vale super a pena porque é aquela quebra leve nas tensões nossas do dia-a-dia.

Nota: 4 gnomos de jardim

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …