Egon Schiele – Morte e a Donzela, um filme de Dieter Berner



Baseado na vida do artista Egon Schiele, o filme conta como o jovem pintor, através de sua arte ousada e provocativa, causou grandes escândalos e ao mesmo tempo, interesse pelo publico por sua arte.

O ritmo do filme é bem equilibrado, mesmo nas cenas com mais ação dos personagens, mas isso não deixa o filme parado ou cansativo, o trabalho de roteiro permite que a ação dos personagens seja direta, mostrando sempre o que é mais relevante e importante para a história, sem pressa, mostrando o relacionamento com cada musa que passou pelo artista. O ritmo se perde um pouco apenas no primeiro ato do filme, quando há  um pulo temporal entre uma de suas musas para outra, que deixa algo um pouco implícito, e uma parte desse assunto é respondida mais para o final do filme, mas não totalmente.

O roteiro também dá várias pistas falsas sobre algumas intenções dos personagens, como a relação do artista com a irmã, que chega a ser um pouco confusa. Pode-se notar que eles são bem próximos, mas deixa uma falsa incerteza se eles têm um relacionamento maior do que o relacionamento de irmãos.
Resultado de imagem para Egon Schiele Morte e Donzela

Egon Schiele (interpretado por Noah Saavedra) é mostrado de forma humana, mostrando seu lado talentoso, seu amor pela sua arte, e também seu lado desprezível e machista, tratando suas musas com frieza e indelicadezas, colocando sempre sua arte em primeiro lugar, fazendo delas apenas um objeto de cena para suas obras, mesmo sendo motivo de inspiração para ele.

Imagem relacionada
A montagem é composta principalmente por vários flashbacks que em alguns momentos fica confuso o que está ocorrendo, mesmo o público diferenciando o tempo presente do filme com o que já tinha acontecido no passado, esse tempo passado raramente se encaixam com o pensamento dos personagens no presente.
Resultado de imagem para Egon Schiele Morte e Donzela

O filme talvez não surpreenda o publico que já conhece a historia do artista, mas é interessante, não chega a ser comovente, é bem vago e deixa a desejar.

NOTA: 4 obras expressionistas e meia.








Comentários

Postagens mais visitadas