Pular para o conteúdo principal

A outra mulher, um filme de Daniel Auteuil

Daniel é um homem casado, de imaginação fértil que, ao conhecer a nova namorada do melhor amigo, se pega fantasiando com ela.

O filme acerta na dosagem de humor, mas estereotipa muito os personagens, como o homem atraído sexualmente pela namorada do amigo, a esposa ciumenta ou a garota sensual e provocante, e embora esse elemento incomode o público, o diretor sabe brincar com a situação. Ele faz questão de mostrar o que os personagens estão pensando ou sonhando, enganando e fazendo o público sempre questionar o que de fato está acontecendo, e o que é fantasia da mente dos personagens. Algumas coisas são claramente coisa da cabeça deles, outras surpreendem, fazendo o humor funcionar de forma equilibrada. Esse elemento, embora seja usado praticamente o filme inteiro, não fica repetitivo, já que é sempre apresentado algo novo que sempre pega o público de surpresa.

Além de dirigir, Daniel Auteuil, que protagoniza o filme, interpreta seu personagem paradoxal, já que ele é o que mais vemos se divertindo em suas fantasias um tanto inapropriadas, mas quando se mostra a realidade, ele diverte com seu jeito meio atrapalhado e um pouco sem noção.

Resultado de imagem para a outra mulher 2018

Sandrine Kiberlain exagera como a esposa ciumenta, falando todos os clichês possíveis sobre a nova namorada do amigo de seu marido, tudo por questões pessoais que ocorreram no passado.

A personagem de Adriana Ugarte e uma mulher sedutora, atraente sem ser vulgar, que aparentemente tem intenções de se envolver com Daniel, mas nunca fica bem claro se o que ocorre e real ou não.

Gérard Depardieu está bem, mas é o que menos se destaca no elenco.

Resultado de imagem para a outra mulher 2018
Os diálogos criam um clima cômico que ajuda na questão da fantasia, onde dois personagens estão conversando sobre um assunto, e logo em seguida, mostra um deles na situação da conversa de modo um pouco absurdo ou exagerado. Os diálogos se perdem um pouco quando é mostrado um personagem falando em um ambiente sozinho, ficando um pouco novelesco.

O humor do filme desaparece totalmente no terceiro ato, transformando-se em uma história de romance proibido com um tom dramático que quebra o clima.

A outra mulher diverte, surpreende no humor, mas é um filme que se perde na construção deospersonagens.

NOTA: 6 fantasias em meia realidade. (6/10)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …