Pular para o conteúdo principal

‘O Doutrinador’ ganha novos cartazes criados por renomados quadrinistas brasileiros


FILME SOBRE O ANTI-HERÓI QUE CAÇA CORRUPTOS CHEGA AOS CINEMAS EM 20 DE SETEMBRO 



Talentosos artistas do quadrinho nacional, reconhecidos no Brasil e internacionalmente, felizes com a visibilidade e a oportunidade de crescimento que a área encontra no novo longa produzido pela Paris Entretenimento, celebram a chegada de “O Doutrinador” aos cinemas e à TV com a criação de cartazes alternativos. A inspiração veio do pôster oficial, que destaca o vigilante brasileiro com sua máscara de olhos vermelhos e a frase “a corrupção criou seu maior inimigo”. O filme estreia em 20 de setembro nos cinemas, enquanto a série de TV será exibida pelo canal Space em 2019. 

O artista pernambucano Thony Silas, que já ilustrou HQs da Marvel e DC Comics como “Batman Beyond”, “Liga da Justiça” e “Venom”, fez uma versão em que o anti-herói das HQs criado por Luciano Cunha pode ser visto como uma espécie de “caça-vampiros”, combatendo aqueles que sugam o país. Já o mineiro Ig Guará Barros, que entre vários trabalhos já desenhou para as HQs da DC Comics “Batman” e “Smallville”, acrescentou um detalhe junto à emblemática máscara do vigilante: sangue escorrendo do Congresso Nacional. Por sua vez, Marcelo Costa - paranaense radicado em São Paulo que já realizou um projeto especial para o Capitão Feio, personagem da Maurício de Souza Produções, e desenhou para a série cult “Zombie Tramp”, de Dan Mendoza - colocou o Doutrinador no meio da multidão.



A ação entre os artistas foi capitaneada pelo estúdio Chiaroscuro, que administra a carreira de vários dos principais talentos da indústria de quadrinhos e convidou os três para fazer essa homenagem a “O Doutrinador”. A arte do cartaz oficial do filme é de autoria do estúdio Ana França Design, que já criou mais de 100 pôsteres para o cinema brasileiro.



O artista pernambucano Thony Silas, que já ilustrou HQs da Marvel e DC Comics como “Batman Beyond”, “Liga da Justiça” e “Venom”, fez uma versão em que o anti-herói das HQs criado por Luciano Cunha pode ser visto como uma espécie de “caça-vampiros”, combatendo aqueles que sugam o país. Já o mineiro Ig Guará Barros, que entre vários trabalhos já desenhou para as HQs da DC Comics “Batman” e “Smallville”, acrescentou um detalhe junto à emblemática máscara do vigilante: sangue escorrendo do Congresso Nacional. Por sua vez, Marcelo Costa - paranaense radicado em São Paulo que já realizou um projeto especial para o Capitão Feio, personagem da Maurício de Souza Produções, e desenhou para a série cult “Zombie Tramp”, de Dan Mendoza - colocou o Doutrinador no meio da multidão.

A ação entre os artistas foi capitaneada pelo estúdio Chiaroscuro, que administra a carreira de vários dos principais talentos da indústria de quadrinhos e convidou os  três para fazer essa homenagem a “O Doutrinador”. A arte do cartaz oficial do filme é de autoria do estúdio Ana França Design, que já criou mais de 100 pôsters para o cinema brasileiro.

“O Doutrinador” - Sinopse
“O Doutrinador” é um anti-herói no melhor estilo dos vigilantes dos quadrinhos. O Doutrinador é Miguel, um agente federal altamente treinado que vive num Brasil cujo governo foi sequestrado por uma quadrilha de políticos e empresários. Uma tragédia pessoal o leva a eleger a corrupção endêmica brasileira como sua maior inimiga. E ele começa a se vingar da elite política brasileira em pleno período de eleições presidenciais, numa cruzada sem volta contra a corrupção.


Ficha Técnica

Direção: Gustavo Bonafé
Roteiro: Mirna Nogueira, LG Bayão, Rodrigo Lages, Denis Nielsen, Guilherme Siman, Gabriel Wainer e Luciano Cunha
Produção: Marcio Fraccaroli, Sandi Adamiu, Bruno Wainer
Produção Executiva: Renata Rezende
Direção de Fotografia: Rodrigo Carvalho
Produtora de elenco: Renata Kalman
Diretor de Arte: Marghe Pennacchi
Figurinista: Flavia Lhacer
Montador: Federico Brioni e Sabrina Wilkins

Elenco

Kiko Pissolato (Miguel)
Samuel de Assis (Edu)
Tainá Medina (Nina)
Marília Gabriela (Ministra Marta Regina)
Eduardo Moscovis (Sandro Correa)
Helena Ranaldi (Julia Machado)
Natália Lage (Isabela)
Natallia Rodrigues (Penélope)
Tuca Andrada (Delegado Siqueira)
Gustavo Vaz (Anterinho)
Carlos Betão (Antero Gomes)
Nicolas Trevijano (Diogo)
Eduardo Chagas (Oliveira)

Trailer:



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …