Pular para o conteúdo principal

Relembrando como foi a Brasil Game Show 2018



A edição de 2018 da BGS (Brasil Game Show), que durou do dia 10 a 14 de outubro, que reuniu fãs de videogames de todos os tipos e gêneros, teve várias atrações e atividades que fizeram os ingressos da convenção esgotarem rapidamente.

Resultado de imagem para bgs 2018

O evento ocorrido na Expo Center Norte teve seu espaço totalmente lotado de lojas oficiais, stands e atrações e palestras de profissionais do ramo, contando com a ótima organização dos realizadores, deixando o evento muito mais acessível ao público, entretendo-os de várias formas, fosse experimentando novos jogos que ainda não estão à venda para o público, atividades interativas ou mesmo chegar perto de seu ídolo.

Um dos grandes méritos que deve ser elogiado foi a organização dos Meet & Greets, dos stands da Nintendo, Twitch e da Intel, o que proporcionou aos fãs a oportunidade de conhecer os realizadores e profissionais de grandes jogos que fazem sucesso até hoje. As filas, que tinham metros de comprimento, se locomoviam rápido, os funcionários trabalhavam com eficiência para agilizar melhor o encontro dos fãs com o convidado, dando a oportunidade de tirar foto e pedir autógrafos com eles.

A lista de convidados especiais também foi muito surpreendente, grandes nomes famosos do ramo compareceram ao evento para responder curiosidades para os fãs, ou mesmo para serem jurados em concursos de cosplay, entre eles estavam presente Daniel Pesina (idealizador de Mortal Kombat), Charles Martinet (dublador do Mario), Nolan Bushnell (criador do Atari), Yoshinori Ono (produtor de Stret Fighter), entre outros nomes.

Imagem relacionada
Os stands de grandes plataformas como Playstation, WB Games, Hasbro, Xbox, Red Fox Game, Nvidia, tiveram como atração principal um espaço exclusivo para todos os convidados experimentarem os novos jogos antes do lançamento para o público em geral, entre esses jogos estão a nova versão de FIFA 19, LEGO DC Super Vilões, Mega Man 11, Spyro Reignited Trilogy, Just Dance 2019, Marvel’s Spider-Man, Magic: The Gathering – Arena, Beat Saber, Hitman 2, Assassin’s Creed Odyssey, e muito mais.

Resultado de imagem para bgs 2018
Além de todas essas atividades, outro destaque foram as competições de cosplay no stand da Nintendo, com participação de Charles Martinet como jurado, e o grande campeonato ocorrido no stand da Brasil Game Cup, que foi apresentado por Nyvi Estephan (apresentadora de eSports) e pelo jornalista Bruno Micali, com competições de jogos como Dota 2, Counter-Strike: Global Offensive, e de Free Fire. Além das competições, o palco principal contou com shows abertos da banda Vivalma, que misturavam temas de games e filmes, com o estilo de heavy metal para a abertura das competições.

Resultado de imagem para bgs 2018Ao fim da visita, o público podia comprar produtos oficiais do evento como recordação, como chaveiros, blusas ou canecas personalizadas. Não é exagero quando se refere à BGS como a maior feira de games da América Latina, um espaço totalmente interativo que agrada os mais viciados em games, e ate mesmo aqueles que não são muito fãs de jogos eletrônicos, que também contava com uma grande variedade de jogos estilo fliperama para toda a família. Para aqueles que infelizmente perderam essa edição, podem esperam com ansiedade pela edição de 2019, que já está mais do que confirmada. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Maria do Caritó, do tablado para o cinema, diverte ao mesmo tempo em que faz críticas muito necessárias

No dicionário popular, Caritó é a pequena prateleira no alto da parede, ou nicho nas casas de taipa, onde as mulheres escondem fora do alcance das crianças, o carretel de linha, o pente, o pedaço de fumo, o cachimbo. Vitalina, conforme a popularizou a cantiga, é a solteirona, a moça-velha que se enfeita - bota pó e tira pó -, mas não encontra marido. E assim, a vitalina que ficou no caritó é como quem diz que ficou na prateleira, sem uso, esquecida, guardada intacta.
No gênero comédia romântica e baseado na peça teatral homônima, Maria do Caritó, escrita por Newton Moreno e ambientado no nordeste, e gravado na cidade de Peacatuba, em Minas Gerais, onde a fotografia remete às pequenas cidades do interior, trazendo a poesia e o azul como motes no começo do  longa.



Nessa máxima que segue o enredo de Maria de Caritó, longa protagonizado por Lilian Cabral (Maria), a moça que chega aos seus 50 anos  e ainda virgem, vítima da promessa que seu pai diz ter feito ao santo desconhecido quando ela …