Pular para o conteúdo principal

Sobre Rodas - Um road tour infantojuvenil que nos dá uma visão simples sobre um tema sério


Honestamente, preciso iniciar este texto dizendo que filmes voltados para o público infantojuvenil são daqueles com os quais eu não tenho muita afinidade. Não por desinteresse, longe disso, é mais porque sinto que passei dessa terna idade e material assim acabaria soando monótono para mim, pois não cumpriria sua função como filme (que é passar alguma mensagem, afinal entretenimento, de forma geral, não é algo vago na grande maioria das vezes).

Porém, devo dizer que "Sobre Rodas" foi um filme que conseguiu me provar que há, sim, possibilidades de que filmes voltados para os nossos adolescentes sejam atraentes para os adultos também e portarem uma mensagem que cative, mesmo com a maior simplicidade possível.

A obra cinematográfica tem um grande êxito em trabalhar sua narrativa em um todo e, mais do que isso, nos entrega personagens cativantes que conseguem nos guiar ao longo de 1h20 de filme. Eles conseguem nos passar com maestria a lição que precisa ser aprendida aqui, pois nem sempre temos as respostas que esperamos da vida e conseguimos notar bem isso.



Além disso, também dá para comentar que nosso protagonistas são personagens bem humanizados que cumprem a contento a missão de nos trazer a identificação com o público, e o filme ainda consegue nos presentear com uma atuação que merece um destaque, pois mesmo sem um drama denso demais, eles nos passam o sentimento necessário para determinada cena e isso é extremamente positivo.

Mas, voltando ao roteiro, podemos dizer que ele é extremamente simples e funcional, pois não se apega demais a querer ser uma obra profunda; ela apenas é uma obra adolescente com viés de drama e faz isso sem exigir que seu público alvo fique por períodos a fio pensando no que acontece ou se canse. Dá para resumir dizendo que temos aqui um bom exemplo de filme que não subestima o espectador e trabalha bem o material que tem para ser interessante aos olhos da garotada; maior prova disso é que muitos diálogos beiram uma simplicidade ímpar.



Outro detalhe digno de nota é que o filme foi filmado com um orçamento modesto e, ainda assim, tem uma qualidade que chama bastante atenção, pois tudo é feito com um cuidado e carinho que se nota a cada momento. Ali você percebe que houve todo um planejamento minucioso para que tudo ficasse dentro dos conformes e não houvesse estouro de orçamento (claro que vale o parênteses que isso também foi mencionado na coletiva de imprensa que aconteceu depois da exibição do filme).



No fim, é possível dizer que este é um filme voltado para adolescentes até seus 13 anos, mas que consegue encantar o público adulto; maior prova disso é que o filme já faturou alguns prêmios internacionais, o que também é uma boa prova do que o cinema para o público infantojuvenil pode fazer e, mais do que isso, nos prova que ainda há muita lenha para se queimar quando o assunto é filmes para crianças e adolescentes, porque essa é uma audiência que carece de boas obras nacionais.


5 rodinhas na estrada

Texto por: Paulo Raposo


Trailer:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio, uma bela repaginada em uma franquia querida

Neste ano vimos o retorno de várias franquias queridas (bem, ao menos queridas para os fãs delas, claro) muitos anos depois do último filme delas, como Rambo, Zumbilândia e Os 3 Infernais, mesmo depois daquele final épico. Então temos agora O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio. Porém, enquanto  os outros são continuações diretas, mesmo que muitos anos depois, do último filme lançado, este novo longa  de O Exterminador do Futuro é uma sequência direta de O Exterminador do Futuro 2 - O julgamento final, e veio para provar um de vários fatos que fazem dessa franquia um sucesso: a presença de Linda Hamilton. 
Repaginando a história, o filme já começa com cenas digitalmente refeitas para conectar o segundo da franquia a este. E é simplesmente incrível nessa reconstrução, pois a gente fica se perguntando se eram cenas que não foram para o filme de 1991 afinal, mas com o avanço da tecnologia (ai, ai, ai, rs), não notamos isso até que alguém nos conte a real. 

E temos um trio girl powe…

Mario Kart Tour: o que esperar do clássico para mobile?

Com certeza os amantes de Nintendo já souberam da novidade para celular! A Nintendo, diferente de outras desenvolvedoras, muito dificilmente libera um de seus jogos para outra plataforma. Mas como uma boa mãe sempre olha por seus filhos, ela nos deu esse pequeno presente que é o Mario Kart tour!
Em Mario Kart, Mario e seus amigos disputam emocionantes corridas de Kart em paisagens inspiradas em cenários clássicos da franquia. A versão original possuía apenas karts, mas agora temos também motocicletas e algumas telas necessitam de paraquedas para maior interação. Não é apenas um jogo de corrida, mas intensamente competitivo, com caixas surpresa espalhadas pela tela que te dão itens exclusivos para ganhar vantagem, derrubar os inimigos e destruir amizades. Cada circuito possui quatro telas e a pontuação é somada ao longo delas.


Essa versão desse clássico da Nintendo é um tour pelas telas mais queridas e famosas das outras versões (principalmente os clássicos, como Mario Kart 64 e o novo M…