Pular para o conteúdo principal

Com a estreia de "O mau exemplo de Cameron Post" nos cinemas em abril, a editora Harper Collins relança o livro no Brasil



O longa, distribuído pela Pandora Filmes e que poderá ser visto em circuito comercial em abril, pôde ser visto na 42a Mostra de Cinema Internacional em 2018, aborda a polêmica cura gay

A Harper Collins Brasil acaba de relançar o livro “O MAU EXEMPLO DE CAMERON POST”, da autora Emily M. Danforth, que deu origem ao longa homônimo, dirigido por Desiree Akhavan e estrelado por Chloë Grace Moretz.   

O filme foi o vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance e finalista no Troféu Bandeira Paulista, na Mostra de Cinema Internacional de São Paulo, ambos em 2018. Já o livro foi eleito o melhor livro teen pela Amazon (2012), venceu o Boston Globe Best YA Books (2012) e o Booklist Books For Youth Editors' Choice (2012).  

A história se passa na década de 1990 e acompanha a trajetória de Cameron, uma adolescente que é mandada para um centro de tratamento depois de ser pega beijando outra garota. Vivendo com uma tia cristã desde a morte dos pais, a menina passa a sentir dúvidas sobre sua identidade, e acaba se submetendo a uma terapia que supostamente a transformará em uma adolescente heterossexual. Porém, é só quando está na clínica que finalmente encontra outras pessoas com quem se identifica, e faz amigos e amigas de verdade, que estão passando pela mesma situação.   

Enfrentando uma disciplina severa e métodos que supostamente a farão deixar de ser gay, além de rock evangélico, Cameron terá em “Jane Fonda” (Sasha Lane) e Adam (Forrest Goodluck) duas pessoas em quem confiar, e de quem se torna mais próxima. Nenhum dos dois quer abrir mão de sua identidade, o que ajudará a protagonista a se aceitar como realmente é.  

O longa, que tem distribuição no Brasil da Pandora Filmes, traz ainda no elenco Jennifer Ehle, John Gallagher Jr., e Emily Skeggs.  

Sinopse    

Cameron Post (Chloë Grace Moretz) era considerada uma adolescente comum até que foi pega beijando outra menina. Por isso, é mandada para um centro de terapia de conversão que "corrige" adolescentes com atração por pessoas do mesmo gênero. No local, em meio a tantas atividades estranhas, conhece outros jovens gays na mesma situação que ela, e finalmente a garota sente que encontrou sua turma.   

O MAU EXEMPLO DE CAMERON POST (THE MISEDUCATION OF CAMERON POST)    
Direção: Desiree Akhavan  
Roteiro: Desiree Akhavan e Cecilia Frugiuele  
Elenco: Chloë Grace Moretz, Sasha Lane, Steven Hauck, Quinn Shephard  
Ano: 2018  
País: EUA    
Duração: 91 min  
Previsão de estreia: 18 de abril  

Trailer:


Se vocês clicarem nessa imagem aí embaixo, ela as levará à página de compra do livro na Amazon Brasil e vocês estarão nos ajudando a conseguir alguma graninha para colocarmos mais combustível na nossa nave, a USS Sinistra. 
Antecipadamente agradeço, A Capitã


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …