Pular para o conteúdo principal

#AbrilAzul2019 - Mês da conscientização sobre o autismo - séries, filmes, dicas e atividades sobre o tema


Estamos entrando em abril - dia 02/04 é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo - e venho falar com vocês sobre o #AbrilAzul. Assim como já houve reclamações sobre como se abordou a fibrose cística em A cinco passos de você, já se reclamou e muito de como se retratam os autistas em filmes e séries de TV. Justamente por se tratar de um espectro, não é possível determinar padrões de personalidade comuns a todos aqueles que se encontram dentro do espectro do TEA (Transtorno do Espectro Autista). No entanto, na grande maioria das vezes, mesmo com seus "defeitos" inerentes, por serem ficção, e não documentários, e por causa da diversidade no espectro, a visão sempre tenderá a ser romantizada, convenhamos, como já falei antes, mesmo um documentário não é imparcial e 100% objetivo. Há cortes, edições, pontos de vista. O que é normal, mas graças a várias obras de arte e/ou entretenimento, pessoas que talvez nunca teriam nem ideia do que seja fibrose cística ou autismo, por exemplo, acabam entrando em contato com os temas e isso facilita a (necessária) conscientização.




Sendo assim, uma das séries que recentemente vem colaborado e muito na conscientização sobre o autismo é Atypical, da Netflix. Outra série bem querida que mostra um médico autista é The Good Doctor. Já assisti às duas temporadas de Atypical e estou na metade da segunda temporada de The Good Doctor e posso dizer que ambas são ótimas. Aqui no blog, eu já escrevi sobre o filme Tudo que quero, em que a personagem de Dakota Fanning é uma autista fã e Star Trek que vai atrás de seus sonhos, e a Michelle escreveu aqui sobre um documentário chamado Em um mundo interior, o primeiro documentário brasileiro sobre o autismo. 




Procurei para comprar o livro Nascido em um dia azul - por dentro da mente de um autista extraordinário, escrito por Daniel Tammet, que tem Síndrome de Savant e Síndrome de Asperger (como Sean, o cirurgião autista de The Good Doctor, para ler, mas está indisponível, infelizmente. =/




Bem, como o autor do livro Forrest Gump ODIOU o filme... sim, eu não o vi até hoje.... que tal falarmos sobre o livro? Clique aqui para ver 6 motivos que levaram o autor da história original a odiar o filme. Sendo assim, meu desafio temático de leitura do mês de abril de 2019 está estabelecido: vou finalmente ler minha edição lindona comemorativa de aniversário do livro da Aleph. 

Fugindo da linha de sugestões tão óbvias de filmes e séries novos e/ou antigos sobre autismo, venho recomendar também o filme Um menino chamado Po, do ano passado, que mostra as dificuldades de um pai solteiro com um filho autista, sua luta para não apenas sobreviver como dar uma vida decente ao filho, seu empenho, e conte com um final fofíssimo em que pai e filho saem na melhor. <3 Puro amorzinho esse filme. 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o autismo afeta uma em cada 160 crianças no mundo. No entanto, ainda há uma multidão que vive sem ser reconhecida pela sociedade, ou por falta de representatividade, ou porque, quando ela existe, é carregada de preconceitos e estereótipos (como no caso de Forest ser um "idiota" no filme, como pensar o autor do livro original. Sendo assim, as produções sobre autismo e/ou que incluem um personagem autista, como temos até mesmo na Turma da Mônica, são uma vitrine da diversidade existente dentro do  espectro, ainda mais que nenhuma pessoa com autismo é igual à outra. 





Links úteis/interessantes/relevantes:






TeApoio - Grupo de apoio a pais e familiares do autista.

Ama - Associação de Amigos do Autista.

Atypical e a visão romântica do autismo.

Autismo de Sam na série Atypical.






Leia o primeiro capítulo de Forrest Gump aqui.

Se vocês clicarem nessa imagem aí embaixo, ela os levará à página de compra do livro na Amazon Brasil e vocês estarão nos ajudando a conseguir alguma graninha para colocarmos mais combustível na nossa nave, a USS Sinistra. 
Antecipadamente agradeço, A Capitã




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …