Pular para o conteúdo principal

Festival Varilux de cinema francês - 2019 - 6 a 19 de junho em todo o Brasil!


Em meio a tantos cortes na cultura do país, a décima edição do Festival Varilux consegue se manter firme e forte, com uma programação de 16 prestigiados filmes franceses, sendo exibidos em 84 cidades do Brasil, e em 122 cinemas (sendo 14 só em São Paulo), e graças a uma parceria estratégica com a rede Sesc, o festival também será apresentado em 21 unidades culturais do Sesc, entre junho e agosto.

Alguns grandes destaques do festival são os filmes A Revolução em Paris (que inspirou o pôster do festival, destacando a atriz Adèle Haenel), dirigido por Pierre Schoeller, que estará presente durante o festival para debates, e que também fará uma homenagem à Revolução Francesa, que em 2019 completa 230 anos. Outros filmes prestigiados também estarão na programação do festival, como a comédia Meu Bebê, da diretora Lisa Azuelos, protagonizado por sua filha, Thais Alessandrin, e ambas também estarão disponíveis em sessões com debates, e o polêmico e aclamado Graças a Deus, que aborda o abuso sexual dentro da igreja, novo filme do diretor François Ozon, com Swann Arlaud, outro convidado do festival que falou um pouco de seu personagem na coletiva de imprensa na última quarta, dia 5 de junho, sobre sua construção, inspiração, e da reação do homem que inspirou o personagem do filme e da atuação do ator.


Outro convidado do festival é o ator e recém-diretor, Alexis Michalik, que marca sua estreia na direção com o filme Cyrano Mon Amour, inspirado em sua peça Edmond. O diretor também falou na coletiva do processo e de sua vontade de fazer um filme dessa história, e das dificuldades de transformar sua ideia em um filme, principalmente na questão financeira, já que se trata de um filme de época, e de sua decisão final de transformar seu roteiro em uma peça de teatro que continua em cartaz ate hoje na França, e, com o sucesso da peça, vieram financiadores do cinema para sua adaptação para as telonas, onde ele também teve a oportunidade de dirigir sua obra, finalmente, depois que seu filme foi para o teatro e finalmente voltou para os cinemas. Embora esse processo seja raro, Alexis fala nessas palavras que foi assim que ele conseguiu realizar o filme de seus sonhos, e apresentá-lo para o publico.

O festival também conta com a nova historia do famoso personagem Asterix, na animação Asterix e o Segredo da Poção Magica, que também estará nas sessões educativas organizadas em todo o país.


Além das exibições e dos debates com atores e cineastas de diversos projetos, o festival conta com ações e sessões educativas e laboratório franco-brasileiro de roteiros, sob a coordenação de François Sauvagnargues, especialista em ficção e ex-diretor geral do FIPA, o Festival Internacional de Programação Audiovisual (Biarritz, França).

A decima edição do Festival Varilux de Cinema Francês ficara de 6 a 19 de junho em todo o Brasil, programação completa no site do festival.

Clique aqui para ver a programação completa do Festival no Circuito SPCine também.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …