Pular para o conteúdo principal

Mostra Queer Terror - Dias 7 e 14 de agosto - gratuita - Centro Cultural de Diversidade


Que tal uma dica de uma mostra de filmes que reúne, com entrada gratuita, ótimos filmes de terror queer? A Mostra Queer Terror está chegando!


Todos sabem - ou já deveriam saber, que os filmes de horror sempre fascinaram a humanidade, desde os primórdios da sétima arte, na fase do cinema mudo, e depois, claro, com o cinema falado, ampliando as possibilidades de gritos na plateia e na tela. Quem pode esquecer os violinos histéricos e os gritos da moça do chuveiro em “Psicose”? Eu não esqueço. Esse filme marcou minha infância! Sim, eu via terror desde criança ;)

Os anos, décadas e até séculos se passaram, e o gênero segue cada vez mais atual do que nunca, refletindo os horrores da vida real, no mundo todo, com a sociedade cada vez mais perplexa diante da política e das atitudes humanas muitas vezes, mais assustadoras e chocantes do que qualquer filme de terror. O que me remete àquele episódio da primeira temporada de Supernatural, Os Benders, mais chocante do que os episódios de "monstros da semana", justamente porque os monstros naquele caso.. eram seres... "humanos".


Diante disso, vivemos uma espécie de renascimento do gênero de horror no cinema, com diversas cinematografias buscando novos rumos para esse filão. E entre esses rumos surge uma orquídea lilás: o cinema de horror mesclado com a temática LGBT.


Finalmente ocorre o encontro dessas duas frentes, dinamitando as tradições heteronormativas do filmes de horror. A diversidade sexual, de gênero e de identidade invade as fronteiras do terror, e personagens LGBT ou queer se tornam protagonistas das sagas horripilantes do cinema.


No Brasil, cada vez mais jovens realizadores produzem curtas de terror protagonizados por personagens LGBT ou impregnados de uma certa aura queer. A onda chegou até no universo dos longas-metragens, com filmes recentes que se identificam com esse movimento, sendo os principais exemplos, os nacionais “As Boas Maneiras” e “O Segredo de Davi”.


Tudo indica que teremos na próxima década uma fértil produção dentro desse cruzamento de correntes. Para retratar esse momento de transição e revisar o que já foi feito, surge a mostra Queer Terror, realizada no novíssimo Centro Cultural da Diversidade, da Prefeitura de São Paulo, sediado no Teatro Décio de Almeida Prado.



A mostra acontece em dois dias, realizando uma retrospectiva dos curtas brasileiros de terror queer mais marcantes do século XXI, e encerrando com um longa-metragem independente representativo do gênero. Todos os filmes são brasileiros e produzidos a partir do ano 2000, e as sessões serão seguidas de debates com alguns dos realizadores dos filmes. Os debates serão mediados pelo cineasta Lufe Steffen, curador e produtor da mostra Queer Terror. Já fiz dois cursos de cinema LGBT com o Lufe - nacional e internacional - e ele é simplesmente ótimo! Venha você também curtir essa mostra com a gente. E viva a diversidade <3

Mostra de Cinema Queer Terror
Dias 07 e 14 de agosto de 2019 19h / 22h
Centro Cultural da Diversidade / Teatro Décio de Almeida Prado
Rua Lopes Neto, 206 Itaim Bibi
Entrada Franca



Sinopses e Fichas Técnicas dos Filmes da Mostra Queer Terror:

07/08
Ladykiller
2017 / 1’
Direção Bruno Silvano, Felipe Perez, Leandra Lira, Yara Andrade Elenco Felype Bondezan
Uma drag queen serial killer
criminosa ou vítima?
Melhor Filme no Festival Brasileiro de Nanometragem




A Cama do Tesão
2000 / 20’
Direção Lufe Steffen
Elenco Claudia Wonder, Ida Feldman, Hugo Picchi, Juliana Sanchez, Maria Dressler Uma misteriosa cama de casal herdada de uma avó já falecida provoca estranhas sensações, trazendo à tona erotismo, desejo e o poder sobrenatural.
Exibido no Festival Internazionale di Film con Tematiche Omosessuali Turim, Itália



Memória Morta
2006 / 10’
Direção Dacio Pinheiro
Elenco Geanine Marques, Ricardo Ramory

Atormentado pela morte de sua esposa, Victor é assombrado por visões que desafiam sua sanidade. Ele luta para unir as peças de sua memória fragmentada, sem saber que pode acabar vítima daquilo que mais deseja. Talvez o amor seja realmente eterno. E talvez a eternidade não passe de uma prisão.
Rodado originalmente em Super-8 colorido

Jiboia
2010 / 18’
Direção Rafael Lessa
Elenco Gilda Nomacce, Gabriela Vergani

Consumida pelo desejo, uma cabeleireira da Rua Augusta aceita fingir ser a mãe de sua amante adolescente, sem saber que o plano da menina vai colocar à prova seu verdadeiro amor e desembocar num final sangrento.
Melhor Curta-Metragem pelo Júri Popular no Lume International Film Festival



Chapô
2012 / 23’
Direção Eduardo Mattos
Elenco Rodolfo Valente, Geraldo Rodrigues, Lilian Blanc
Chapeuzinho Vermelho agora é o adolescente Chapô. E a floresta, repleta de uma fauna delirante, é o Centro de São Paulo.
Melhor Filme no Close Festival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual



Cravo, Lírio e Rosa
2018 / 20’
Direção Maju de Paiva
Elenco Antônia Lonn, Gisele Balestreri, Milena Pessoa

Cê, uma garota gordinha de 8 anos de idade, tropeça no cadáver de uma adolescente. A aparição do corpo muda drasticamente a vida de Cê e de sua irmã mais velha, Sara. Ao mesmo tempo em que Cê passa a se comunicar com os mortos, Sara tem que lidar com assédio.
Prêmio ABC de Fotografia Categoria Curta Universitário



Pop Ritual
2019 / 19’
Direção Mozart Freire
Elenco Alcântara Costa, Kahlo de Oliveira
Padre João prende um vampiro e o visita para um regime de experimentos científicos e estranhezas. Com o passar do tempo os encontros se tornam uma alucinada relação entre erotismo e sobrenatural, e os dois entram em uma relação obsessiva de vida e morte entre corpos.
Exibido no XV Fantaspoa


As Bodas do Diabo
2015 / 14’
Direção Ivan Ribeiro
Elenco Silvero Pereira, Bill Santos, Valder Bastos

O ano é 2020. E o medo que vivemos em 2015 concretizou-se: foi instalada uma ditadura religiosa no Brasil. Mas há esperança! Com o objetivo de nos libertar, as travestis Shoshanna e Verônika partem em uma missão de alto risco.
Exibido no Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade
Debate com alguns dos realizadores dos filmes após a sessão



14/08
O Bosque dos Sonâmbulos
2017 / 22’
Direção Matheus Marchetti
Elenco André Cortada, Celo Carvalho, Isabel Lima

Os excêntricos hóspedes de um decadente hotel nas montanhas caem sob um feitiço noturno no qual “sonambulam” até um denso bosque nos arredores, onde todos os seus mais secretos desejos e fantasias reprimidas podem se tornar realidade.
Exibido no Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade





As Núpcias de Drácula
2018 / 70’
Direção Matheus Marchetti
Elenco Daniel Simioni, Henrique Natálio, Isabella Melo Releitura experimental e queer do clássico de Bram Stoker. Longa-metragem inédito em circuito

Debate com o diretor Matheus Marchetti após a sessão 





Comentários

  1. Mostra Queer Terror São Paulo 2019 é essencial para manter viva a arte a construção mambembe com todos os perrengues e alegrias da montagem em equipe.
    TchaKa drag queen faço parte do elenco do curta filme AS BODAS DO DIABO junto com ator Silvero Pereiro e da atriz Abigaill Santos.
    curta metragem de Ivn Ribeiro

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Projeto Gemini traz a nova tecnologia 3D+, apela ao público gamer e proporciona uma intensa imersão

Dirigido pelo Hollywoodiano vencedor do Oscar®, Ang Lee, e produzido pelos renomados produtores Jerry Bruckheimer, David Ellison, Dana Goldberg e Don Granger, o novo filme de Will Smith, “Projeto Gemini” traz a inovadora tecnologia 3D+, High Frame Rate, em que o filme é gravado em 124fps (os filmes normalmente são gravados em 24 fps), o que nos dá uma visão ultra dimensionada de detalhes e uma sensação de total imersão nas cenas do filme.

No longa de ação, Will Smith vive o papel de um misto de agente/assassino, “Henry Brogan” que, ao decidir se aposentar, é surpreendido sendo perseguido por um agente mais novo de seu próprio bureau. No elenco também estão Mary Elizabeth WinsteadClive Owen e Benedict Wong.


Com a temática científica da possibilidade da clonagem humana para fins bélicos, lembra outras abordagens tais como O Soldado Universal e O Exterminador do Futuro.

Em suas cenas de ação, claramente podemos sentir referências a Missão Impossível com algumas pegadas ao bom estilo John …