Pular para o conteúdo principal

Um dia no #AnimeFriends2019 (com direito a fotos e autógrafo do Mauricio de Sousa)



Eis que eu achei que nem iria ao Anime Friends esse ano - acho que a última vez em que fui ao AF foi em 2015 ou 2016, até que o Paulo me avisou que haviam liberado um lote de ingressos gratuitos. Eu, como a criança mais feliz do mundo, não podia perder essa, consegui o ingresso (20.000 ingressos que se esgotaram em menos de 24 horas) e me preparei para curtir a sexta-feira no Anime Friends 2019! E que surpresas me esperavam, rapaz!

Confesso que estava com saudade do evento, e acabei indo, super feliz, e adorei a mudança de local: o Anhembi foi uma escolha ótima, ainda mais por ser um lugar fechado, e estava tudo muito bem organizado por lá: e a praça de alimentação? Havia opções de lanches a preços totalmente razoáveis, nada absurdos - o que costuma acontecer com esse tipo de evento: só lanches caríssimos. Não foi o caso e mais um ponto positivo para a organização!

Eu fui agraciada ainda mais quando fui ao estande da Panini com meus amigos e conseguimos a senha para um autógrafo com Mauricio de Sousa! Felicidade, sim ou claro?

Até que, pelo menos nesse ano, não havia tantos cosplays assim de Coringa - acaba sendo o mais comum. Estava bem variado e bem bacana ;) - Acabei topando com o super-herói amigo da vizinhança, o Homem-Aranha, e fiquei curtindo o evento, tirando fotos, assisti à palestra da New Pop - sempre gosto de saber das novidades deles!










No palco principal, volta e meia tocavam alguma abertura de anime bem conhecida, e o som estava ótimo! Sério, super parabéns para um evento bem organizado, cheio de opções de diversão, comida e tudo o mais. Saí de lá bem no fim do evento, animada e feliz XD 

Hoje foi o último dia do AF2019, mas não fique tão triste, no fim do ano teremos o Ressaca Friends! 

Anime Friends bate recorde e reúne 60 mil pessoas em três dias de evento em São Paulo 

Evento contou com shows, palestras, concursos e áreas temáticas de sexta, 12, a domingo, 14, no Anhembi
  
Os fãs de cultura japonesa, admiradores dos quadrinhos (mangás) e das animações do Japão tiveram um fim de semana movimentado no Anime Friends, que ofereceu mais de 50 atrações nacionais e internacionais ao longo de três dias, no Anhembi. Ao todo, 60 mil pessoas marcaram presença no evento, movimentando mais de R$ 17 milhões. 

Estiveram no Brasil alguns dos grandes astros da cultura japonesa, como  Ultraman Heroes, a cantora Mika Kobayashi, as meninas do FAKY!, as cantoras NADA e Yumi Matsuzawa, a banda de rock Snowkel, o excêntrico Deadlift Lolita,  a atriz Ayaka Komatsu, e os atores Takumi Tsutsui e Takumi Hashimoto. E as atrações nacionais  Aurabreak e OKAMI, a Banda Marcial de Cubatão, e os dubladores Alfredo Rollo,  Michel Di Fiori e Diego, Fabrício Vila Verde e Francisco Júnior. Alguns influenciadores digitais também estiveram presentes, como  Haru, Gabi Xavier,  Matheus Mendonça, a cantora Isis Vasconcellos e Felipe Honório. 

- A edição 2019 do Anime Friends só veio a confirmar que o brasileiro é um povo apaixonado pela cultura japonesa, com recorde de público pelo segundo ano seguido. É muito prazeroso fazer um evento como esse com uma equipe dedicada e um público tão apaixonado. Nos vemos em 2020! – comemora o diretor do evento, Diego Ragonha. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

La Boya, um filme de Fernando Spiner

Maria do Caritó, do tablado para o cinema, diverte ao mesmo tempo em que faz críticas muito necessárias

No dicionário popular, Caritó é a pequena prateleira no alto da parede, ou nicho nas casas de taipa, onde as mulheres escondem fora do alcance das crianças, o carretel de linha, o pente, o pedaço de fumo, o cachimbo. Vitalina, conforme a popularizou a cantiga, é a solteirona, a moça-velha que se enfeita - bota pó e tira pó -, mas não encontra marido. E assim, a vitalina que ficou no caritó é como quem diz que ficou na prateleira, sem uso, esquecida, guardada intacta.
No gênero comédia romântica e baseado na peça teatral homônima, Maria do Caritó, escrita por Newton Moreno e ambientado no nordeste, e gravado na cidade de Peacatuba, em Minas Gerais, onde a fotografia remete às pequenas cidades do interior, trazendo a poesia e o azul como motes no começo do  longa.



Nessa máxima que segue o enredo de Maria de Caritó, longa protagonizado por Lilian Cabral (Maria), a moça que chega aos seus 50 anos  e ainda virgem, vítima da promessa que seu pai diz ter feito ao santo desconhecido quando ela …