Encontros: um filme sobre as mazelas da solidão e não-socialização atuais, que vale a pena ser visto



No filme francês Encontros, temos Rémy (François Civil) e Méllanie (Ana Girardot) no auge da crise dos 30 anos, basicamente, são vizinhos de parede e em consequência da vida e da modernidade, assim como da sociabilização da atualidade, sofrem do mesmo mal, a solidão do século 21.

Moram sozinhos, têm  poucos amigos, vivem focados no trabalho e  se descobrem em depressão, fruto da realidade moderna de uma cidade como Paris e seus problemas de crise financeira, desemprego e amores perdidos.

Suas questões pessoais esbarram no preconceito em relação a se tratar com psicoterapia (a máxima do estar psicologicamente doente) que muitos não aceitam; tentando  resolver unilateralmente essas questões, buscam nas ferramentas sociais uma maneira de sair do caos causado pela solidão através de sites de relacionamento: ele, pelo Facebook, ela, através do Tinder.

O desenvolver da trama possui até uma certa lentidão... mas acaba sendo uma consequência do desenvolvimento individual de cada personagem.



Uma mescla de futilidades de uma vida comum da cidade grande com questões pessoais individuais tais como: timidez, depressão, amores não resolvidos, questões familiares do passado, solidão e paixão torna o enredo suave.

Com algumas pinceladas de humor e drama um filme que vale a pena ser visto.

Nota 4 mensagens não lidas


Trailer:

Comentários