La Boya, um filme de Fernando Spiner



Narração em off começa a contar o que vem a seguir, como se fosse alguém pensando no que vai fazer. Logo conhecemos Anibal, e nos é mostrada uma cena de carros em uma estrada para a qual percebemos que seu amigo Fernando está se deslocando, enquanto ele recita poemas à beira mar.

Planos bem fechados de câmera te convidam de maneira intimista à casa de praia onde eles preparam o almoço e colocam a conversa em dia, além de relembrar situações de suas vidas, destes vários anos de amizade.



Fernando viaja para a cidade litorânea onde passou a adolescência para cumprir uma tradição anual que divide com Anibal, jornalista e poeta amigo de longos anos. O ritual que eles precisam concretizar juntos? Nadar até uma boia. Mas este ano, Fernando além de querer cumprir este ritual, tem outro desejo: realizar um documentário sobre seu amigo Anibal e a relação dele com a poesia e o mar. 

Belas cenas na água, planos de câmera que te convidam a mergulhar, nadar com eles, nessa ida ate á boia. Um filme poético que se divide em atos que representam as estações do ano e o tempo passado de suas vidas entre memórias, recordações e este desafio de manter a tradição de nadar até a boia.



Fernando ao conversar com Anibal se depara consigo mesmo e suas lembranças do passado. Contemplativo, sobre uma grande amizade como uma homenagem a um grande amigo.

Filme assistido na 43ª Mostra Internacional de São Paulo.

Veja a programação da Mostra aqui.

Texto por: Giovanna Landucci 

Trailer:
 

Comentários