Pular para o conteúdo principal

Para Todos os Garotos: P.S. Ainda Amo Você aquece corações e não decepciona


Assim que o filme Para Todos os Garotos: P.S. Ainda Amo Você ficou disponível na Netflix, reservei um tempinho em meio à minha maratona da segunda temporada de O mundo sombrio de Sabrina e resolvi assistir ao filme. Que não me decepcionou, não, embora até mais ou menos uma hora de filme eu tenha ficado me perguntando se teria valido a pena. Mas valeu, aquele final foi bem mágico, e entender que a proposta deste segundo filme é bem diferente da do primeiro ajuda bem a curtir essa segunda instância da história de Lara Jean e Peter. 

Amizade, amor, paixão, divórcio, novo relacionamento do pai depois da morte da mãe, encontro com antigo crush e dúvidas na cabeça de uma adolescente com seu relacionamento e quase ferrando tudo por medo de ferrar tudo são temas presentes nesta sequência. A trilha sonora é incrível como sempre, há momentos bem divertidos no filme, e o final feliz esperado, claro. Lara e Peter combinam, mas mostram que a insegurança, os medos, tudo isso junto pode arruinar chances de felicidade se ficarmos pensando demais. E pensando bobagens, muitas vezes. Julgando as coisas pelo que parecem ser, e não pelo que são.



Ainda quanto à trilha sonora, adorei várias canções, especialmente a versão de Girls just wanna have fun, de Charlotte Lawrence, Nina Nesbitt & Sash Sloan. Aliás, uma OST de arrasar. 



Algumas cenas são de partir o coração, e o grande destaque está para a senhora Storm, no asilo em que Lara Jean vai trabalhar como voluntária. Conhecemos mais também sobre John Ambrose, mas, pelo menos eu, sempre torcendo por Lara Jean e Peter no final. Ciúmes, competição, dúvidas, tudo isso faz parte das vidas não só de adolescentes como de muitos seres humanos adultos também. 



Por que os idosos gostam tanto de Bingo? Não se sabe, mas aquele baile foi a coisa mais linda, e ver os velhinhos se divertindo e torcendo pela felicidade da Lara Jean foi bem legal de ver. Um filme leve, gostosinho, para ir dormir com o coração aquecido, este é o veredito para o filme Para todos os garotos: P.S. Ainda amo você. 

Nota: 4 águas-vivas em um aquário sob os olhares tristes de jovens com corações partidos (4/5)

Trailer:


Comentários

Popular

Midsommar - O mal não espera a noite tem um quê de dèjá vu com pontas de originalidade, mas peca por ser longo

Com influências de Corra!, da série Hannibal (principalmente perto do final do longa), com um quê de clima de Anticristo, sem deixar de lado A chave mestra, Colheita Maldita (filme inspirado na obra homônima de Stephen King), O homem de palha, e, como me disse a Ana, que é megafã de Supernatural, inclusive um episódio da série que sacrificava “estrangeiros”  em prol do “bem” da cidade de Burkitsville, no décimo-primeiro episódio da primeira temporada da série, tudo isso também é bem sentido em Midsommar – O mal não espera a noite. Com todas essas referências, senão inspirações, dá para imaginar o desconforto que o filme passa.


Com 147 minutos (171 na versão do diretor), ser longo é um problema no filme. As partes boas são realmente boas e chocantes, o culto e o que parece haver de muito sinistro por trás deles é bem estabelecido, mas os personagens, especialmente os secundários, não são muito aprofundados e, quando começam a “desaparecer”, a tendência é que o telespectador não ligue m…

O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio, uma bela repaginada em uma franquia querida

Neste ano vimos o retorno de várias franquias queridas (bem, ao menos queridas para os fãs delas, claro) muitos anos depois do último filme delas, como Rambo, Zumbilândia e Os 3 Infernais, mesmo depois daquele final épico. Então temos agora O Exterminador do Futuro - Destino Sombrio. Porém, enquanto  os outros são continuações diretas, mesmo que muitos anos depois, do último filme lançado, este novo longa  de O Exterminador do Futuro é uma sequência direta de O Exterminador do Futuro 2 - O julgamento final, e veio para provar um de vários fatos que fazem dessa franquia um sucesso: a presença de Linda Hamilton. 
Repaginando a história, o filme já começa com cenas digitalmente refeitas para conectar o segundo da franquia a este. E é simplesmente incrível nessa reconstrução, pois a gente fica se perguntando se eram cenas que não foram para o filme de 1991 afinal, mas com o avanço da tecnologia (ai, ai, ai, rs), não notamos isso até que alguém nos conte a real. 

E temos um trio girl powe…

Mario Kart Tour: o que esperar do clássico para mobile?

Com certeza os amantes de Nintendo já souberam da novidade para celular! A Nintendo, diferente de outras desenvolvedoras, muito dificilmente libera um de seus jogos para outra plataforma. Mas como uma boa mãe sempre olha por seus filhos, ela nos deu esse pequeno presente que é o Mario Kart tour!
Em Mario Kart, Mario e seus amigos disputam emocionantes corridas de Kart em paisagens inspiradas em cenários clássicos da franquia. A versão original possuía apenas karts, mas agora temos também motocicletas e algumas telas necessitam de paraquedas para maior interação. Não é apenas um jogo de corrida, mas intensamente competitivo, com caixas surpresa espalhadas pela tela que te dão itens exclusivos para ganhar vantagem, derrubar os inimigos e destruir amizades. Cada circuito possui quatro telas e a pontuação é somada ao longo delas.


Essa versão desse clássico da Nintendo é um tour pelas telas mais queridas e famosas das outras versões (principalmente os clássicos, como Mario Kart 64 e o novo M…