O Setembro Verde, Azul e Amarelo



O título era para ser: Setembro Amarelo e a hipocrisia reinante piorada em tempos de pandemia.

Falar sobre post sobre setembro amarelo que tem aqui, linkar post sobre a positividade nociva e acrescentar o que eu acho dessas pessoas que ficam o ano todo julgando e ou alienando quem sofre de depressão etc., mas se julgam no direito de ditar regras de como o outro deve viver, inclusive em tempos de pandemia, já que não há motivos para tédio, etc., pois temos muitas opções gratuitas ou baratas online (oi, tem gente q nem internet tem) e tudo o mais.

E por falar dos livros " amarelos"  que estou tentando ler, já que não sou hipócrita e, se não trabalhasse com livros, meu índice de leitura teria sido quase zero nessa pandemia. O que é normal, pois estamos em uma pandemia, não numa colônia de férias! ... Bem, um deles é de autoajuda com ironia e sarcasmo e o outro é sobre o Charles Manson, pra "conhecer" melhor esse monstro (e procurar não me tornar um, não serial killer, mas um monstro, sem querer ofender os monstros). 

***

*****

Mas já vou tachar isso tudo, porque o foco (e o título), será outro: O Setembro Verde, Azul e Amarelo.

Se vocês ainda quiserem ler sobre o Setembro Amarelo em si aqui no site, tem um post aqui, que é bonzinho, apesar de a ex-colaboradora que o fez ter admitido nunca ter se importado comigo... Como tem gente que finge se importar com alguém por tanto tempo, se mal consigo fingir um sorriso pra pessoas de quem não gosto, que são um zero à esquerda pra mim? Enfim... Só "fingiu"... Que fofo! Só rindo, né? Não vou chamá-la de hipócrita, nem nada, graças à iluminação da Ritinha Von Hunty (que me levou a reestruturar esse post) e cujos vídeos importantes compartilharei abaixo. 

[E é com o maior orgulho e carinho que estou participando das legendas colaborativas, inclusive com audiodescrição, do meu canal predileto no YouTube <3]

É isso e, como ela diz, Tcha-au! [embora tenha vídeos e recomendações de leitura abaixo...] ;)

Ana Death

-------------------

 

Curiosidade, talvez meio mórbida, mas real e importante: Já parou para ler as letras de algumas músicas que você curte? Asleep, dos Smiths, é sobre suicídio. Está legendada e traduzida abaixo. Não escolhi o vídeo do filme As vantagens de ser invisível por acaso.


Recomendações:

Melancolia, de Lars von Trier: Um filme belo, asfixiante e digno no retrato que traça da depressão como doença

https://3.bp.blogspot.com/-e6Fe_cemqRQ/W8M-NijEPmI/AAAAAAAABSg/ckzw6QNO36Y7RhcKAg_J-qqTJO5FQKUQwCLcBGAs/s1600/Melancholia-Screen-Shot-2015-08-31-at-4.37.53-PM.png


@TemperoDrag

Saúde Mental, sexualidade, homofobia e suicídio LGBTQIA+ | Rita Von Hunty | É preciso falar #7

 
 

Capacitismo, Setembro Verde, Azul e Amarelo
 

 

A Rita Von Hunty simplesmente arrasa, como sempre, nesse vídeo sobre capacitismo, então deixo acima as palavras dela sobre o assunto.
 
 
 
 
 
Setembro Azul – Um Mês Dedicado aos Surdos

"A cor azul foi escolhida por conta de dois fatos históricos de suma importância: durante a Segunda Guerra Mundial, nos campos de concentração nazistas, as pessoas com deficiência eram identificadas com uma faixa azul colocada em seus braços. Além disso, durante o XIII Congresso Mundial da Federação Mundial de Surdos, que aconteceu em 1999 na Austrália, foi realizada a Cerimônia da Fita Azul, que relembrava a opressão que os surdos sofreram com o Nazismo." (Fonte)


Comentários

Postagens mais visitadas