#onDisney+ Raya e o último dragão: quase um anime da Disney

 

Raya e o último dragão pode ser sim, como muitos veem, como uma fábula que diz respeito ao momento em que vivemos com a COVID-19, a ganância dos líderes de nações e a confusão do povo e a necessidade de se unir por um bem maior, porém, também carrega sua história própria, bem única, apesar de ser considerada também por muitos clichê, já que segue os moldes Disney e tem lá seu final feliz.

Apesar de se passar no mundo fictício de Kumandra, dá pra notar a incorporação bem estudada de elementos do Leste Asiático, entre eles, a comida. Se, em Little Fires Everywhere, série da Amazon, há o "erro", apesar de bem-intencionado, de achar que os biscoitos da sorte têm origem chinesa, quando é japonesa, os elementos em Raya e o último dragão refletem bem o Leste Asiático, sem deixar de tornar a história universal e abrangente para qualquer pessoa neste planeta.


Embora também haja a comparação com Moana, e dá para entender porquê [há, inclusive, uma teoria dos fãs que diz que Maui, de Moana, foi quem criou os Druun], Raya e o último dragão se destaca por sua unicidade, sua bela animação que, além de tudo, me remeteu a Inuyasha e a busca pelos pedaços da joia das 4 almas. 


Porém, apesar dessa similaridade com o anime, e outros temas como amizade, união na adversidade, disputa por poder etc., Raya e o último dragão continua sendo uma história única, fechada, embora ampliável, em si. Esperemos alguns spin-offs, talvez, como de Frozen, entre outros.

Raya e o último dragão é um espetáculo visual, o que já era de se esperar de uma produção da Disney. O fato de que soma referências do sul da Ásia a um tema universal só vem como um brinde a uma era em que precisamos cada vez mais de inclusão. A protagonista tem falhas [embora já saiba de seu potencial desde o começo], não apenas os supostos antagonistas que, na verdade, se parecem ser apenas pessoas desesperadas por poder, vão muito além disso, como nos é mostrado durante o filme, especialmente no final.


Não temos romance nem contos de fadas, mas temos, sim, muita aventura, e às vezes parece que a Disney absorve elementos de sua subsidiária, a Pixar, para nos envolver cada vez mais na emoção. Em vez de príncipes encantados, temos a jornada de uma  heroína (e não somente ela) em um mundo que antes fora habitado e protegido por dragões, o que mudou, aparentemente, por causa da ganância humana. Mas é o medo e depois, a necessidade de união, que acaba reunindo todos novamente em um só propósito.

Os Druun, que me remeteram muito, per se e com seu "miasma" (a névoa roxa lançada pelos Drunn) aos yokai malévolos de YnuYasha, não são profundamente abordados, tendo dito que nasceram da discórdia humana, mas tudo bem, é um filme e não uma série animada, e, em pouco menos de duas horas, fica difícil explorar todas as possibilidades de cada personagem, seja ele bom ou mal. 

Sisu, o último dragão, é uma personagem ótima, carismática, divertida, e que passa por uma jornada de autoconhecimento junto com Raya. Trata-se aqui de saber sim que temos força e poder, mas entrar em uma jornada de autoaceitação e assumir riscos por um bem maior. Não há como fugir, apenas lutar.


Apesar de a Disney já vir apostando em personagens femininas "menos femininas" na forma como a sociedade vê as mulheres, sim, infelizmente, ainda, dá alguns passos à frente com Raya e Namaari, tanto em termos visuais, de vestimentas como de comportamentos. 

Arte conceitual da Disney de Raya e Namaari

Filmes como esse, assim como [Asiáticos] Podres de ricos, do qual já falei aqui, e que pode ser visto no TelecinePlay são mais do que necessários hoje em dia, e, embora eu tenha visto a versão dublada, eu li que as vozes são feitas por atores asiáticos, no original, inclusive Awkwafina, que atuou em Podres de ricos, na voz de Sisu. Veja aqui quem é quem no original em inglês de Raya e o último dragão.

Seja pela carga emocional, pela beleza visual e/ou pelas mensagens sociopolíticas, Raya e o último dragão tem de tudo para ser mais uma bela estrela se firmando no horizonte imaginário da Disney e nos nossos também.


Nota: 5 pedaços completos da Joia do Dragão 

Trailer dublado:

Trailer legendado:





 

 

 





Comentários

Postagens mais visitadas