Top 10 momentos incríveis de Supernatural (devidamente comentados)

 


Bem, uma lista dessas é bem difícil, pois se limitar a 10 momentos de uma série incrível, minha série predileta, na real, não é uma tarefa fácil. Mas tem que ser 10... Talvez eu coloque um bônus ;)

Não é em ordem de preferência, ok?

1) Na décima temporada quando o Crowley leva o Dean a um bar com o karaoke - gente, é hilário, ele cantando mal daquele jeito kkk, socorro! :) Na verdade, amo toda a broderagem do Crowley com o Dean.


2) Quando, na luta entre o vessel de Michael (Adam, o meio-irmão deles) e Sammy, este diz, "É assim que vai ser, então eu gostaria de ver você tentar". Acho que a edição que envolve esse lance como um todo ao som de uma cover de "In the end", do Linkin Park (que já disse o quanto amo aqui no site no post We're back) ficou incrível, então ilustrarei esse momento com esse vídeo.

 


3) Quando Jensen/Dean faz lypsinc de "Eye of the Tiger" no carro naquele episódio em que ele fica afetado pelo lance do medo (o medo do gato e o episódio inteiro são hilários, por sinal, um dos milhões de pontos da série, que mescla o hilário com o sofrimento, pois a vida é sim um mar de rosas, mas lembremos que a água do oceano pode matar e que as rosas têm espinhos...) Já viram a cena pós-créditos, né?


 

4) O lance da "pizza" entre o Castiel e a Meg. Nem vou  explicar os detalhes, pois Hunter que é Hunter deve saber e, se você não se lembre (o que é normal, são muitos episódios, detalhes etc), falei que Hunter que é Hunter deve saber, mas do jeito como nossa memória funciona não é bem assim (ainda bem, pois seria terrível se lembrássemos de cada detalhe, não só de filmes ou séries, mas das nossas vidas). Aqui cabe eu indicar Rememory/A Máquina de Lembranças a vocês, que ilustra bem isso e o filme é excelente! Tem no Telecine Play)

 
5) O momento em que me deixou chocada e maravilhada ao mesmo tempo (embora eu esperasse isso e/ou algo pior [e que veio...] do Chuck) no último episódio e finalzinho da décima quarta temporada: tudo aquilo acontecendo, a hora de "zumbis", tudo ao som de God Was Never on Your Side [Deus nunca esteve do seu lado] - eu tinha acabado de ver o final de Game of Thrones (fazia poucos dias) e, pelo amor de Castiel [isso rende um item em si...], foi frustrante, aê vejo a season finale de SPN e meu pobre coração ficou destroçado, tanta emoção, tão tudo... que fiquei com ressaca de série (que nem ressaca de livros, só que, obviamente, com série), quando a gente vê algo tão bom que parece que nenhuma outra  série, por melhor que seja, vai suprir esse "buraco" no coração. Ai, meu kokoro! 
Se quiserem saber como saí dessa ressaca, foi com Good Omens [eu já tinha visto o screening meses antes de ser lançada e foi uma tortura pelo embargo não pode falar dela antes...], da qual falei aqui, e que, junto com Sandman, fez parte da inspiração para SPN, assumido até pelo Kripke.
 

 
6) A referência ao Lucifer da Netflix (agora, ainda bem, porque Fox, afff...), quando o Lucifer de SPN diz algo assim: "Vou fazer o quê agora?  Ir pra Los Angeles, ter uma casa noturna e tocar no piano bar?" Aí amei também  a referência de Lucifer a SPN quando nasce o Nephillim. "Como vamos chamá-lo? Jack?"
Então o vídeo aqui é de Lucifer da Netflix;)




7) Quando a garota que Dean "pegou" no bar pede desculpas a ele, por ele estar, digamos, "drogado"  (o que seria um Boa noite, Cinderela),  mas ela não sabia disso, e mesmo assim pediu desculpas por "ter se aproveitado dele naquelas condições". Só mais uma das várias provas de que SPN passou de uma série estilo monstro-da-semana para algo bem mais profundo,  com uma história avassaladora, e fugindo, sim, não sejamos hipócritas, do machismo inicial, da falta de diversidade, do dualismo extremo, tudo isso vai se alterando, adaptando-se à mais do que necessária mudança no preconceito que SPN abraçou, sem ficar nada  forçado, ao passo que várias séries (e filmes) preferiram continuar com o status quo, com a desculpa de que "na época era assim". Friends, estou falando especificamente de você, o pior dos exemplos, mas há outros. E não aceito o argumento patético de que "na época era assim", e vamos lá...
Alien, o Oitavo Passageiro é de 1979 e como é atual! Tripulação diversa, negro em posição de comando, e preciso mesmo falar da mulher fodona? ... e por aí vai. MIL NOVECENTOS E SETENTA E NOVE! 
Friends: 1994 a 2004. De repente 30 é de 2004... mais que recomendo, ainda mais pra quem curte rom-com não machista. Friends  não se redimiu nem na última temporada, que repulsa. Veredito: EPÍC FAIL. E tenho dito. Voltemos a SPN, fiz esse parênteses porque era relevante para falar da evolução de SPN.

8) Quando Dean finalmente beija Jo na boca quando ela está morrendo, não sem antes beijar sua testa, cuja simbologia é de respeito.
 
 

9) Quando nosso amado demônio Crowley faz um pacto com Bobby, mas sem ele saber, faz também com que Bobby volte a andar, e a forma como ele faz com que ele saiba disso, rs, amay muitão! E o beijo! hahahhahahaha <3
 
 


10) O momento que mencionei mais acima que merecia um item para si: quando, em um discurso lindo e tocante, Castiel diz que ama Dean e... T____T. 



Bônus (11): Não dá pra escolher um ÚNICO momento aqui, mas tudo bem, é bônus mesmo: TODO O EPISÓDIO COM SCOOBY-DOO AND THE GANG! <3


Yours, forever hunter, Ana Death



Comentários

Postagens mais visitadas