Sueño Florianópolis: Delicioso como férias de verão



Uma família argentina de classe média pretende passar férias agradáveis em uma praia bonita e relativamente próxima, em Florianópolis, do outro lado da fronteira. Mas as coisas não saem bem como esperado quando, ainda na estrada, o carro dos hermanos fica sem gasolina. Felizmente, eles são resgatados por um brasileiro gente boa que, por puro golpe de sorte, também os livra de outra roubada ao alugar sua casa para eles. O encontro fortuito acaba por trazer à tona, no relacionamento do casal argentino, verdades que a paisagem paradisíaca não consegue sufocar.

O filme tem uma aura de nostalgia recente do início dos anos 90, época em que o ar condicionado veicular não era tão comum assim, o Nirvana estava no auge, não havia celular e as fitas K-7 ainda existiam. E também era um período de câmbio favorável aos nossos vizinhos do Mercorsul. Lucrecia (Mercedes Morán) e Pedro (Gustavo Garzón) formam um casal em crise e que veem na viagem uma oportunidade de descansar, resolver a situação matrimonial e ainda desfrutar da companhia dos filhos adolescentes, que eles sabem que certamente não viajarão mais com eles nas próximas férias.


No entanto, a esperada união familiar não acontece: o filho logo arranja um jeito de ir para outra ilha, mais badalada, onde estavam seus amigos, a filha imediatamente engata um namorico com um jovem da região e Lucrecia, que já estava inclinada à separação, se encanta pelo jeito despojado, divertido e direto de Marco (Marco Ricca), o homem que os ajudou na estrada e que vive do aluguel de casas de veraneio. Pedro, no início, se sente ofendido e desafiado por aquele sujeito atrevido (que “ousa” estar sempre de sunga e com uma cerveja na mão), mas então se dá conta de que a esposa já estava realmente em outra e que, se ele também quisesse, poderia viver bons momentos naquele litoral ao lado da bem-resolvida Larissa (Aldréa Beltrão), ex-mulher de Marco.

Tudo se encaixa direitinho nessa história: o feliz acaso que coloca Marco no caminho dos argentinos, os filhos de Lucrecia e Pedro que logo assumem seus papéis de coadjuvantes e deixam os pais sob os holofotes para resolverem sua iminente separação, a troca de casais que rola sem grandes entraves. Apesar de serem coincidências demais para a realidade, nesta ficção esse fato não foi um incômodo em momento algum. E, embora possa parecer que as duas novas duplas românticas terão o mesmo peso, isso não acontece: a trama é vista pela perspectiva de Lucrecia, uma mulher que tem um carinho enorme pelo ainda marido, mas que não o ama mais; que já tem filhos criados e que agora volta sua atenção para si mesma, para o que quer e para o que sente; que se descobre ainda desejável e disposta a viver um romance – ainda que seja um amor de verão.


“Sueño Florianópolis” mistura drama e romance com pitadas de comédia oriundas das clássicas provocações entre brasileiros e argentinos, das diferenças culturais, do portunhol engraçado que às vezes causa pequenos mal-entendidos. É, sobretudo, um filme sobre se permitir viver o momento e abraçar as oportunidades de felicidade quando elas surgem.

Nota: 4 cervejinhas geladas (4/5)
Estreia: 15 de novembro


Comentários

Postagens mais visitadas