O menino que queria ser rei, uma recontagem bem-vinda das lendas Arthurianas

O menino que queria ser rei é uma outra abordagem da bem conhecida história do Rei Arthur, com uma pegada moderna e alguns twists que fazem com que seja bem legal ver esse filme no cinema. 

Você com certeza, no mínimo, já ouviu falar da história do Rei Arthur, de Avalon e da Távola Redonda, não? Seja por meio de livro, filme, minissérie e até mesmo episódios de algumas séries, como recentemente em Legends of Tomorrow, essa é uma história meio que sempre presente em nosso campo do entretenimento e meio que na formação de mentes, certo? Ou seja, na grande maioria das vezes, com a grande exceção de As Brumas de Avalon, livros e minissérie de 2001, a história é contada do ponto de vista dos homens. 

Sim, ainda em O menino que queria ser rei, temos Morgana como o ser malévolo que busca vingança contra o Rei Arthur e a humanidade, mas a pegada é diferente. Por causa de alguns twists e de falas memoráveis de Merlin, excelente tanto com o ator jovem que faz o personagem quanto com o amado veterano, Sir Patrick Stewart, em cujos detalhes não entrarei para não entregar spoilers, vê-se que tudo é meio que uma questão de ponto de vista. E isso dos pontos de vista também é abordado na vida de nosso "jovem que queria ser rei", em relação a todo o mistério sobre seu pai, e em vários detalhes da trama, o que a torna bem atual e digna de ser vista nas telonas - uma verdadeira história que cativa e encanta, como muitos de nossos amados filmes da Sessão da Tarde.  


Passado em um mundo distópico infelizmente não tão impossível assim de chegar, este é um filme passado em um mundo caótico que também mostra que unir forças e alcançar um bom resultado às vezes é bem melhor do que tentar ser um único herói e fazer história sozinho. Um filme que fala de união e reunião, família, verdades e mentiras, que cutuca bem alguns pontos temidos e temíveis por e para nossa sociedade. 


Provavelmente não se tornará um clássico, mas é mais uma recontagem bem-vinda de um clássico da literatura, do cinema e da TV, atualizado para a nossa geração, mais consciente e conscientizada em relação a temas como bullying, empoderamento de minorias e outras questões sociais extremamente importantes e que se busca atualmente colocar em muitos dos filmes e de outras peças de entretenimento criadas visando a atualizar versões antiquadas e ou manchadas pelo viés racista/misógino etc. de suas versões anteriores, como estamos vendo acontecer com muitos contos de fadas, e não só por parte da Disney. E que sejam bem-vindos esses filmes!

4/5 frangos fritos do KFC

Trailer:







Comentários