Cinemas Lusitanos


Em um tempo distante, quando o coronavírus era um murmúrio de televisão que ainda não dávamos muita bola. Eu fui ao cinema.  
Estou no meu momento de burguesinha privilegiada e tendo a honra de fazer um intercâmbio para Portugal. Sim, o país que nos colonizou e roubou todo o nosso ouro para construir igrejas mais bonitas. Mas estou me forçando a deixar isso de lado, para toda vez que eu vejo uma igreja eu não ficar me perguntando de onde é todo o ouro enfeitando as paredes.  
Enfim, de volta ao cinema. 
No meu primeiro dia aqui eu conheci minha colega de quarto e depois ela me apresentou umas amigas portuguesas, que logo viraram minhas também. E como uma convivência normal, com pessoas que adoram filmes e um shopping com cinema por perto, marcamos de ver Jojo Rabbit, que diga-se de passagem, é um filme incrível que quero exaltar o máximo que eu puder. 
Pois bem, ao me acomodar na cadeira e me arrepender de não ter comprado a pipoca (mas com o euro aumentando, não deu mesmo), lembrei de um boato que eu tinha escutado há muito tempo e que eu havia tentado reprimir: os cinemas portugueses têm intervalo no meio do filme.  

Quando isso me veio à mente eu só olhei para a tela, que naquele momento estava passando uma propaganda qualquer de companhia de telefone, e repeti diversas vezes na minha cabeça para que aquilo não fosse verdade. Quem sabe desse certo... Já vou te dar um spoiler e dizer que não. 
O filme começou e eu logo dei várias risadas com Jojo e seu amigo imaginário, Hitler, que parecia tão inocente no começo, mas que logo ganhou um tom sombrio e me deu um tapa na cara de realidade. E então do nada, eu repito, do nada, a tela parou, o filme congelou e as pessoas levantaram para ir sei lá onde.  
Perguntei o que estava acontecendo, e me responderam que era apenas o intervalo. Eu fiquei chocada de que aquilo fosse realidade! Mas enfim, levantei, fui ao banheiro e quando eu voltei, lá estava o filme voltando a rodar! E as pessoas de novo, agindo como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo! Digo logo, para mim não faz sentido e atrapalha o ritmo do filme, mas quem sou eu? A decepção é plena sempre que penso em ir novamente. Pelo menos agora posso me preparar psicologicamente para a próxima vez que eu for. 

É uma pena que agora não temos a opção de ir aos cinemas, mas é para o nosso próprio bem e para o bem do próximo também. Então como vocês estão cansados de ouvir. Quem puder, fique em casa. E se tudo der certo, logo essa loucura acaba. 

Comentários