#streaming #A2filmes - Juventude Perdida: Quando tudo parece perdido, mas nem tudo está...

Meu coração é lavado por sangue ruim - Tina

O boxe é apenas a liga no drama russo Juventude Perdida, o que não torna o filme nem um pouco inferior ou monótono por causa disso. Com uma fotografia belíssima, ambientado na Rússia moderna, o longa de Aleksandra Strelyanaya, lançado pela A2 Filmes e disponível nas principais plataformas digitais, lida com temas difíceis da realidade humana, intercalados em uma trama regrada a violência, boa música, entremeando música clássica e música russa moderna (que eu já curtia bastante e passei a amar ainda mais) e tentativas de sobrevivência - ou melhor, de viver, já que, como dizia Oscar Wilde, fácil é sobreviver, é o que a maioria das pessoas fazem, o difícil é viver. As músicas modernas russas, bem mescladas com o scoretrack e com a música clássica, o papel do piano em si na trama, as incursões filosóficas entre os personagens... tudo isso é combinado em um filme envolvente e que pode deixar você pensando por um tempinho nas escolhas que já fez ou haverá de fazer.

Eu valorizo momentos - Tina

O tom azulado predomina, mas a escolha de outras paletas de cores em determinados momentos, em combinação com as atuações, os cenários, os cortes e a música fazem de Juventude Perdida um belo filme de se ver.


A luta de boxe pode ser vista como uma metáfora para a luta que os personagens, bons ou não, dependendo do ponto de vista de quem vê o filme, já que existe aquele eterno debate entre natureza e influência socioeconômica, têm com seu passado, seu presente e seu futuro. Há muitos momentos poéticos, a falta de uma expectativa de algo clichê, por não se tratar de uma superprodução cotidiana estadounidense nos deixa mais ainda à espera do que pode vir pela frente.


Temos a metáfora da libélula, que, segundo algumas tradições, é o símbolo da transformação e das mudanças diárias, mas também da introspecção que ensina a ir além das aparências para procurar sua identidade, o que permeia o filme do começo ao fim. Na cultura europeia, a libélula é vista como um símbolo da liberdade, da paz e da busca da verdade. E qual seria essa verdade?

 
Você decide como enxerga a mensagem do filme no final, que tem seus pontos felizes, apesar do drama ou até mesmo por causa dele. Apesar da intensidade, ou talvez por ela, e todo o drama e as histórias paralelas, somos gratificados com um final relativamente feliz, pelo menos ao meu ver.

Nota: 4 libélulas 

Trailer:


O filme poderá ser adquirido no NOW, Looke, Vivo Play, Google Play, Microsoft e iTunes.

 

Comentários

Postagens mais visitadas